<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

palpitação

Relacionamentos são terrenos tão arenosos que é simplesmente impossível dar algum palpite e ficar isento a ter uma série de "poréns" jogados na fuça.

Claro, quando tal palpite for dito pra alguém que estiver no olho do furacão.

E como essas pessoas(as que estão no olho do furacão) sempre tem gente palpitando a respeito de sua vida pessoal/romântica/demente, então eu me dou ao trabalho de tecer um palpite destinado aos que ainda procuram uma "cara metade".

[Termo besta esse. Como se alguém que já teve qualquer tipo de relacionamento, por mais simples que fosse, ainda acreditasse no conceito de "pra ficar completo preciso de alguém"...]


Enfim, o tal palpite é: não seja um carente.

Vc pode até ser: feio, grosso, duro (de sem grana mesmo), mal educado, estúpido, imbecil, burro, alcoólatra, viciado, demente, sem noção, cínico, filho da puta, mau, e por aí vai...

Tudo isso tem saída no mercado.

Agora, carência não.

A carência é tão nociva que é capaz de transformar pessoas em repelentes. É por isso que tem tanta menina por aí atrás de príncipe encantado e tanto homem que só quer comer e buenas noches.

Aliada a carência existe a hipocrisia. A mesma hipocrisia que reina em frases como a tal da "cara metade" e tudo aquilo que eleve o termo de posse a primeira potência em um relacionamento. Hipocrisia é coisa natural a todos, mas se vc ficar ou for uma pessoa carente, fatalmente vai perder o limite da sua fronteira.

Aí só vão restar as teorias. Mas tudo bem, quem é carente de verdade adora elas!

Marcadores:

Selph - 4:00 PM