<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

aos cromossomos XX - 31/03/2005

Sei não...

As vezes é menos perigoso (e mais conveniente) se "apaixonar" por bundas, peitos e rostos do que se apaixonar por olhos, sorrisos e idéias.

Não entendo o pq de tanta implicância de algumas mulheres.

Afinal de contas, sabe-se que:

É muito mais fácil para elas se envolver com um flerte...

...do que para nós.

Isto não é uma generalização e muito menos machismo. A frase em itálico escrita acima é uma das mais comentadas pela maioria das damas.

E a não ser que essa maioria esteja mentindo (o que eu não descarto, embora não leve muita fé), realmente nos soa mais conveniente ser presa dos instintos básicos.

Pois eles nunca superarão os sentimentos

Ah... sei lá...

É só mais um vã tentativa de entender tão enigmático universo.

Selph - 7:10 AM

0 Comentários

a suicida invisível - 29/03/2005



Olá...

Antes que vc diga algo, eu preciso te contar uma coisa...

Eu sei de suas estórias. Elas estão impregnadas na pele, nos sorrisos e na mente dos que já provaram do seu saboroso veneno. Sei tmb que vc é bem conhecida por aí e que conseguiu isso sem se tornar vulgar. Diria até que te admiro...

Sabe de uma coisa? Às vezes é bom quando vc vem. Vc me faz sentir, pensar e viver coisas boas. Vc é gostosa.

Mas só as vezes, pois...

Na maioria das suas visitas, vc me traz melancolia e certeza da solidão.

Há muito tempo procuro entender quem é vc. E pq vc faz isso.

Então não me leve a mal, mas...

...eu preciso te matar agora.

Não preocupe. Será uma morte indolor. Lenta sim, porém indolor. Vc nem sentirá quando partir daqui. Afinal de contas esse sempre foi o seu objetivo não?

É a sua justificativa pra existir.

Não? Como não? Vc anseia por isso! Em cada suspiro seu, em cada lembrança guardada e que vem a tona, em cada lágrima de felicidade. Em todas essa coisas eu vejo a sua vontade de ir embora. Pra algum lugar no qual as lembranças nunca passem e o tempo seja uma constante mais amigável.

Vc é uma suicida em potencial! Mas tem medo de seguir a sua sina, então eu te ajudarei. Acredite! Eu me sinto bem fazendo isso... Não, não. Não sou nenhum sádico...

Vai ser tão bom pra vc quanto será pra mim...

...embora eu saiba que vc sempre volta. Pq? Vc ainda não percebeu que é imortal? Ah não? Então tá. Saiba: VC É IMORTAL!

Quase um Perpétuo, quase... pois ainda te falta uma personificação. Aliás, muitos já tentaram te descrever e não conseguiram. Muitos já foram arrasados pela sua ira silenciosa. Sim... sei dos seus estragos. Da sua doce contrariedade.

Talvez seja por isso que ninguém tenha conseguido te descrever detalhadamente. Além de contraditória, vc é furtiva. Chega sem avisar e vai embora do mesmo jeito. A não ser que te matem antes. E é o que eu pretendo fazer agora...

Morra!

...
...
...
...
...
...
...

...Saudade.

...
...
...
...
...
...
...

Vá em paz!


Sei que não adianta dizer pra vc não voltar mais... Então.

Te vejo por aí, em qualquer esquina ou canto do céu.

Sei que vc voltará e que será da mesma maneira que hoje. Com lembranças. A sua arma predileta.

Um dia eu serei liberto de vc. E não serei o único. Um dia vc não voltara mais aos meus domínios e nem eu penetrarei nos seus. Estaremos quites, sem possibilidades de revanches ou vinganças.

E nessa hora, quando estiver me elevando, subindo, virando alguma coisa etérea...

Vc ainda tentará me segurar com essas suas mão frias e perfumadas.

E finalmente sentirá que pode ir embora. Ou morrer de vez...

...junto comigo.

A escolha será sua. Só sua.

Image hosted by Photobucket.com

Selph - 1:01 PM

0 Comentários

"eu não te disse?" - 28/03/2005

Percebi tardiamente que as pessoas que defendem um determinado ponto de vista ardorosamente, nem sempre o fazem para convencer os outros (ou o outro) de que seu ponto de vista é o melhor...

...na maioria das vezes é mais pra convencer a si mesmo. E o termômetro disso está quase sempre na ênfase dada ao assunto.

Como quando se discute religião com alguém "convertido"

Como quando ouvimos a garota dizendo pq ela ainda vai atrás daquele cafajeste pela milésima vez

Como quando nos defendemos sem motivo aparente, a maldita carapuça!

E N vezes mais. Muito mais frequentes do que julga a nossa vã pretensão.

Haha!

Que a existência tenha piedade dos nossos egos e nos brinde com mais variedade de pessoas e opiniões!

Hehe!


Que assim seja!

Selph - 7:20 AM

0 Comentários

2 dias na vida - 25/03/2005

No primeiro encha tudo com coisas bonitas, importantes e supérfulas.

. . .

No segundo feche as malas coloridas, cante um réquiem e faça a inscrição da sua lápide.

e o resto da sua vida?

Foram esse três pontinhos...


Selph - 2:03 PM

0 Comentários

noite na toca - 23/03/2005

“Todos os dias a mesma ansiedade
Todos os fins de semana a infeliz certeza”

Saídas noturnas...

Existe um local em Manaus que em tempos idos tinha sido o lar de todos os que curtiam beber umas e outras embalados aos clássicos do bom e velho rock.

Mas como tudo que é bom dura pouco, logo ele estava fechando. Motivo? Falência...

É que o publico rocker daqui não era grande o suficiente pra sustentar uma casa daquele tipo.

O tempo passa. Durante alguns meses o povo underground da cidade passa a explorar novos ambientes. Mas a saudade do velho, enfumaçado e etílico lugar permanece viva na memória.

Os antigos freqüentadores se perguntam se um dia ele voltará a existir. E para alegria geral destes poucos, alguns meses mais tarde é dada a noticia da sua (re)inauguração.

Todos voltam como filhos pródigos para aquela que tinha sido a matriz de suas boêmias.

A principio eles não notam que o ar estava diferente por lá. E não estou falando de nenhum tipo de baseado novo...

Nessa época estava ocorrendo o estouro do roque (não confundir com rock) nacional e das baladinhas chorosas teens internacionais . As bandas como Pitty, Capital Inicial, CPM22, Charlie Brown Jr. e do famigerado rapper-samba-funk-rocker D2, faziam sucesso nas rádios.

Fora as bandinhas que dominavam a parte internacional da programação: Hoobastank, Evanescence, Nigthwish, Avril Lavinge, Good Charllote, Blink 186, Linkin Park e similares, que nem são tão ruins assim, mas que de uns tempos pra cá andam soando pop e adolescentes demais.

Pois bem, o dono do local que não é bobo nem nada (detesto essa expressão, mas ela define bem) resolve adicionar o repertório de tais bandas à set list das noites. Visava (é claro!) atrair outras tribos, outras pessoas que viessem contribuir ($$) para a prosperidade da antiga “casa dos roqueiros de Manaus”.

Eis que o novo publico começa comparecer em massa. Que são eles? Bem, são aqueles que não ligam se é rock ou roque, que mal sabem a diferença entre Bon Jovi e Nirvana, que estão ali apenas “pra curtir a night, huhú!”, que gostam de se vestir bem, que não bebem cerveja barata e nem fumam cigarro de pobre, que se por acaso vc esbarrar em um deles se prepare que pode dar briga...

...sim! os playboys invadiram o local.

E como é característica dessa tribo, divulgaram pra todos os seus miguxos e passaram a bater ponto lá. Todos os finais de semana.

Deve ter sido uma beleza para as finanças, porém, o publico mais antigo quis a morte...

Tudo bem! Sabemos que todos tem o direito de ir e vir neste país, mas o problema é que onde estes seres chegam, eles conseguem transformar o local num antro poser, fútil e... caro! Faz parte da lógica do mercado, se o povo que freqüenta tem condições de pagar, então pq não aumentar os preços?

Se fosse só isso ainda daria pra levar...

O problema todo é que cometeram o sacrilégio de mudarem o essencial do local: O SOM!

Então:

No lugar do Led, entrou CPM22.

Sai Nirvana, entra Charlie Brow Jr.

Placebo? Não! Ninguém ouve alternativo. Bota Evanescence pra tocar, o pessoal gosta e é conhecido...

Nem pense em Metallica. E se pensar, toque apenas as mais manjadas famosas

O povo não entende o que Thom Yorke diz. Se for pra tocar deprê, então bota Hoosbastank com “The Reason” pra todas as menininhas gritarem: “Ahhh! Essa é minha música!!!”

The Who, Deep Purple, The Doors, Motorhead, Soundgarden, AC/DC, Ramones, Green Day, Stereophonics, Pixels, Pearl Jam, Blur, Manic Street Preachers, P.J. Harvey, U2, Foo Fighters, etc. e etc...

Pra que tudo isso? Bota o que tiver na rádio e pronto. Sucesso garantido!

Massificação pop. Enfiam o grude na sua goela e empurram de com força...

Em todas a grandes cidades existem as mais variadas opções pros mais variados gostos e bolsos. Pq aqui tem que ser diferente?

Alguns leigos acham que as tribos urbanas são barristas. Mas na verdade eles apenas querem preservar as coisas que lhes agradam. Então surgem locais cada vez mais específicos para cada tipo de publico. Fascismo? Nem tanto. Se vc parar pra pensar no mingau globalizado que se transformou a vida social, verá que cada vez mais as pessoas tendem a procurar seus semelhantes. Seja em gostos musicais, esportes, diversão ou trabalho...

Parece até um efeito contrario a essa tendência de globalizar tudo. Quanto mais tentam nos aproximar na marra, mais as diferenças ficam patentes.

Quanto ao local citado ao longo do post, eu espero que um dia as coisas voltem a ser como eram antes. Se bem que esse meu saudosismo barato é muito ingênuo, visto que a tendência é massificar ainda mais e mais em busca de grana, fama e “progresso”

Mesmo que esse “progresso” seja as custas daqueles que prestigiaram primeiramente aquela bodega. Mas isso não importa. O importante é que sábado que vem o local estará novamente lotado, com todos cantando:

“I've found a reason for me
To change who I used to be
A reason to start over new
And the reason is yoooooou...!”


...pela milésima vez e achando legal. É... talvez até eu esteja por lá, afinal de contas: ficar na Internet sábado a noite não é das coisas mais excitantes pra se fazer e sempre existem os amigos.

Mesmo que todo o exterior se repita add nausean


Um dia vamos tocar até pagode, vcs vão ver!

Selph - 12:41 PM

0 Comentários

precisamente - 21/03/2005

Dizem os entendidos, os vendidos e os "desocupados", que a inspiração é sempre melhor e mais forte quando a pessoa se encontra na merda...

Tenho as minhas dúvidas a respeito dessa afirmação. Porém, sabendo que a dor e a tristeza têm apelo pop, fico em cima do muro desta vez.

Estar na merda, estar feliz, estar chateado ou estar estar eufórico. Tá!

Mas... existe inspiração na APATIA?

Selph - 6:59 AM

0 Comentários

um dia, talvez, quem sabe... - 18/03/2005

Lembram da mina que foi personagem principal deste post?

Então, após ter trabalhado até mais tarde com o engenheiro, gerente e supervisor da área...

...eu a vi batendo um papo bem íntimo com um dos caras da limpeza.

Pô! dar fazer hora extra pro com o engenheiro, com o gerente e com o supervisor da sua área tudo bem. Mas com pessoal da limpeza? Acho que ela é muito devotada em relação ao seu trabalho.

Mas peraí! Ela não trabalha na limpeza.

Será que? Nãããooo...

Afinal de contas, ela só deu trabalhou junto com o engenheiro, com o gerente, com o supervisor e agora com pessoal da limpeza. Nada ver eu estar achando isso estranho.

Alguns devem estar pensando que eu estou doido pra comê-la. Ledo engano.

O único inconveniente seria o fato das fotos de tal hora extra não pintarem mais na minha mão, visto que esse pessoal da limpeza não diponibiliza da tecnologia digital que os engenheiros, gerentes e técnicos têm.

Isso até ela vir falar comigo ontem...

"Oi! vc é o filho do Juan né? Meu nome é fulana. Vc conserta aparelhos telefônicos?"

"Oi dona fulana. Sou eu mesmo e sim, consertamos..."

"Mas vc? conserta?"

"Er... sim, né?"

"Então anota o meu cel. que eu tenho um aparelho pra vc consertar lá em casa. Só vc..." (olhar 43 e 1/2 matador!)

"Mas eu conserto só aqui na empresa e..."

"Ah! vamos! quebra o meu galho, vai"

Não disse nem que sim nem que não. Só: um dia, talvez, quem sabe...

Ela é gostosa, mas não faz o meu tipo.

Sei lá... Coisa de pele.

Além do que, eu não sou nem da engenharia, gerência, supervisão, RH, departamento pessoal, ferramentaria, produção ou limpeza

Ops! Acho que esqueci de mencionar esses. Pero todo bien! São apenas pequenos detalhes, né?

Selph - 1:29 PM

0 Comentários

ignorante virtual - 16/03/2005

Era bastante leigo em matéria de televisão. Pouco tinha assistido. Um dia, sem ter o que fazer, decidiu ligar aquele objeto quadrado e de tela côncava que diziam causar dependência. Eis que logo na primeira imagem, fica hipnotizado e não consegue parar de mudar os canais...



“Ah! Eu já tinha visto esse simpático Sr. antes. Mas me dá uma pena... Acho que ele deve sofrer de algum problema de personalidade. Coitado! Todos os dias está com uma roupa e cara diferente. Será que ele não sabe quem é na verdade? É o pior é que não convence ninguém nas suas ridículas interpretações, tomara que um dia ele se encontre. Tsc,tsc,tsc, sempre com esse letreiro gigante atrás dele. Deve ser alguma espécie de símbolo do seu povo ou religião, pois ele parece tão devoto e suas palavras ‘mil e uma utilidades’ representam bem o seu nível de paranóia ou devoção perante tal letreiro...”

*muda de canal*



“Bichinhos! Eu gosto deles! Nossa! Esse rato tá muito mal feito! Nunca vi rato falar, gesticular ou usar gravata como esse. Humm... Ele tá dizendo que na FOLHA vc acha de tudo. Uau! Deve ser boa essa folha hein? Mas francamente, eu não gostei do rato. Ele é bonitinho e tal, mas me passa uma idéia de sujeira ou de pilantragem. Como se a FOLHA considerasse quem a lê, um pouco como esse rato. Ih! Olha lá! Pegou porrada de novo, ele vive apanhando! Acho que é porque ele não escuta direito e vive perguntando as coisas de novo. Mas puxa! A FOLHA não está lá para auxilia-lo? Ele é muito burro de ainda ficar perguntando e perguntando, parece que a FOLHA não ajudou o coitadinho, pois ele continua não entendendo nada. E levando mais porrada...”

*muda de canal*



“Que mulher bonita!”

“Mas essa cara dela não muda nunca. Até que tem bela voz, mas esse seu sorriso estático parece um quadro. Não entendi, era pra passar simpatia? Sei lá... me passou apatia. Eita! Ela o tem o mesmo problema do outro Sr. que acabei de ver. Acho que ela sofre de múltiplas personalidades tmb... o que será que quer dizer aquele sinal com a mão? E essa cara estática? Meu deus! Parece que ela está falando com alguém mas não está vendo essa pessoa... Ou talvez esteja puta com a demora na ligação e o seu sorriso sem graça demonstre isso”

*muda de canal*



“Que é isso?”

“Sério! Que bicho escroto é esse? Deve ser algum mutante ou... ok, ok! Lembrei! É um ET. Caralho, como é feio! Bem, não é nenhum bichinho, nem gente, nem representação de coisa alguma. Não gostei disso aí não. Ainda é tapado de dar em cima da filha mais velha da família que o acolheu. Se bem que com uma filha dessas... Ele anda pra cima e pra baixo com o filho, hummm aí tem! Sei, sei.... Putz! Como é babaca! É... definitivamente não gostei dele. É alienado demais, tmb pudera né? Vive nessa tal de... como é mesmo o nome? Internet! Credo em cruz! Isso deve alienar mais do que este objeto quadrado e de tela côncava...”

*muda de canal*




“Uma tartaruga bebendo cerva! E ainda por cima o quelônio pega as maiores minas, sacaneia os otários, dirige um caminhão, levanta a taça do mundo e dá demonstrações gratuitas da Lei de Gerson. Será que essa tartaruga era pra representar o modo de ser de um certo povo da América do Sul? Sei não...
Mas ela é legal! Eu adoro bichinhos escrotos, cínicos e que se dão bem em cima dos humanos imbecis! Adoro caranguejos, tartarugas, ursos, pingüins e toda sorte de animais fuleiros e sem o menor carisma!”

“Ihhhh!!!”

*muda de canal*



“Por falar em animais escrotos. Olha mais um aí...”

“Esse bicho ainda vai morrer de gastrite...”

“Não sabia que ursos podiam beber Coca, o que será que isso quer dizer?”

“Talvez queira dizer que os pingüins bebem Pepsi. Se bem que eu acho que os pingüins bebem Brahma mesmo... ”



“... e alguma coisa me dizia que esse velho tinha um motivo bem forte pra se vestir assim.”

*muda de canal*



“Eu sempre quis ser cowboy!”

“Brincava disso quando era criança. Era o meu sonho! Correr o dia inteiro atrás de vacas num local longe pra caralho, pisando em lama e bosta. Vestir-me com couro da cabeça aos pés, ser MACHO e tratar todos com ar de superioridade, matar os índios malvados, falar como se tivesse sete anos até o fim da vida e é claro: poder fumar comer os deliciosos cigarrinhos de chocolate que a minha mãe dava pra mim e pro meu amiguinho. Alias, eu sempre brincava com um amiguinho, pois nesse tipo de brincadeira menina não entra.”

“Deve ser por isso que Marlboro é a terra onde os homens se encontram

“Aff... Desisto! Não agüento mais ficar vendo essas imagens das quais não entendo patavina. Vou desligar esse treco. Mas não tenho mais nada pra fazer... Já sei! Vou mudar o canal mais uma vez e ver se tem algo interessante!”

*logo, muda de canal e...*



“ARGH!!! NÃÃÃÃOOOO!!!”

Selph - 1:04 PM

0 Comentários

notívagos - 14/03/2005

“Não, não, não. Não somos vampiros!
Gostamos da luz do sol,
Embora ela oculte as coisas muito mais”


Sabe aquele frio que só vem com a ausência da luz?

O brilho cool daquelas coisinhas piscantes no céu e daquela bola amarela, volta e meia partida ou cheia?

É...

Um ansiedade diferente. Mesmo sabendo que quase todas as noites são iguais, vc ainda vai. O sabor, a variedade e o interessante está justamente nesse quase.

É como se o tempo desse um tempo e te brindasse com um pouco de euforia passageira.

É como se vc tirasse uma máscara e colocasse outra. Mais apropriada.

É como se as suas idéias, sonhos, vontades, ilusões, tédio e distração pudessem acontecer de uma hora pra outra...

...te deixando no final com a certeza duvidosa de que vc vai terminar a noite vivo e são

Pois é...

O anjo que mora ao seu lado pede licença para se divertir com as ilusões mundanas. Saindo de um utópico paraíso individual que estava ficando rosa-azul-amarelo demais e caindo (ou descendo por vontade própria) num mundo cinza e nublado, porém, rico em idéias, pensamentos e esperanças.

Image hosted by Photobucket.com

Fui!

Selph - 9:14 AM

0 Comentários

urubserve - 11/03/2005

A faculdade onde eu finjo que estudo, é formada por 4 blocos de 4 andares cada um.

Ontem eu estava no ultimo andar do lado direito, olhando para baixo, observando os quase 1.200 alunos do período noturno...

Olhava e pensava: "humanos..."

Não. Eu não sou tão pretensioso e chato assim. Apenas notei como a necessidade de contato social é uma constante absurda para a maioria das pessoas.

E quando vc se isola ou observa isso de um ponto estratégico as coisas ficam muito mais claras. De cima então, nem se fala...

Sei que aqueles dois caras que publicaram "O corpo fala" soam como receita de bolo, mas até que algumas coisas que eles escreveram fazem sentido. As pessoas são muito expressivas, até os apáticos se manifestam de forma visível quando algo do seu interesse se aproxima ou entra em pauta.

Por isso eu desconfio do jeito apático e solitário de muita gente. Por mais que digam que é por escolha própria, sempre fica parecendo que quanto maior o nível de isolamento, maior é a vontade de estar em contato com alguém. Alguém que agrade, logicamente...

Mas eu já escrevi sobre ilhas antes. E a minha opinião permanece a mesma.

Olhando lá de cima eu me sentia como aquele personagem da Marvel, o Vigia:

Image hosted by Photobucket.com


"Olá, eu sou O Vigia. Venho de uma raça tão antiga quanto o próprio tempo. Meu dever, meu fardo, é o de observar, sem jamais, no entanto, intervir"


Foi-se o tempo em que a Marvel criava algo carismático...

Bem, aos poucos eu vou entendendo que o problema não está nas pessoas. O problema (se é que existe um) está em mim.

E qual seria o suposto problema?

Não querer, mas quase sempre acabar sendo um Vigia.

Image hosted by Photobucket.com

Selph - 1:31 PM

0 Comentários

convenções lingüísticas - 09/03/2005

é... meu velho sempre me faz passar por algumas situações constrangedoras

Ele chegou da Argentina há uns 20 anos e ainda mantém o sotaque de lá. Que misturando com sotaque brasileiro (mais especificamente o amazonense), acabou gerando uma língua latino-ibérica-cabocla de difícil compreensão...

Minha mãe conta que quando o conheceu ele ainda estava em vias de criar essa nova língua.

Algumas frases ficaram famosas:

"Que lora tem?" - era uma indagação a respeito do horário, ficava engraçado quando ele perguntava isso pra alguma loira na rua.

"Boçe tá bem?" , "Boçe tá legal?" - uma gentil pergunta que ele fazia aos amigos quando os via pra baixo, porém, juntando as sílabas a palavra soa como "buceta bem" ou "buceta legal", coisa que acabou em saia justa com alguns puritanos desavisados.

Fora as palavras e expressões do castelhano popular que quando misturadas ao português criam confusão, como quando ele se referia aos carecas como "pelados", quando dizia "rojo" em vez de vermelho ou "embaraçada" pra alguma grávida (teve uma que ficou ofendida, pois achou que ele tinha dito que ela estava arrependida de ter engravidado)

Mas um dia ele veio com a maior de todas, e não teve nada a ver com o idioma

No CPD onde trabalhamos, o piso é de PVC pré-moldado, logo, por debaixo dele passa uma infinidade de cabos que alimentam os computadores. Pois bem, para retirar a lajotas de PVC utilizamos um extrator de piso, que funciona com o mesmo principio do desentupidor de pia, por sucção.

extrator de piso

Como o papi é adepto as convenções lingüísticas, achou que ficava muito feio e difícil chamar tão útil ferramenta de "extrator de piso", preferiu chama-la pelo singelo apelido de "chupeta". Ele diz que era assim que se chama na Argentina.

Pois bem, um dia eu tinha pego a "chupeta" para poder extrair os pisos da sala ao lado e acabei esquecendo-a por lá. Depois de um certo tempo o papi volta colérico dizendo que precisa da chupeta para retirar um piso e posicionar um cabo. Começa a procura, e nada de eu lembrar onde tinha colocado a bendita chupeta.

Eis que me chamam pra efetuar outro serviço e acabo deixando a procura nas suas mãos.

Putz! Pra quê?

Meia hora depois, no Mezanino onde fica o setor de Administração:

Toca o ramal. Uma das meninas atende (no setor predomina o sexo feminino) o telefone no viva-voz...

"Alô! Seby? PQP! CADÊ A PORRA DA MINHA CHUPETA???"

...silêncio no ambiente.

"Escuta! yo quiero a minha chupeta agora! Ou vc vem e faz una agora pra eu poder trabajar ou entom arruma alguien que me faça una chupeta, pq eu tô precisando de una chupeta! Entom vem logo! Yo nom posso trabajar sem a minha chupeta!"

Saio do local mais vermelho que pimentão... Muitos lá não acreditam que eu seja filho dele (mais por questões físicas, aparência) e depois de ouvirem o cara me obrigando pedindo pra trazer alguém que faça uma "chupeta" pra ele ou pra eu mesmo fazer...

...creio levemente que eles acham que eu sou na verdade outra coisa.
.
.
.
.
QUE LOS PARÉOS!!! Maldgita Convenção lingüística!!!!

Selph - 9:59 AM

0 Comentários

placebo Janaína* - 07/03/2005

Para que remédios controlados?

Image hosted by Photobucket.com


Para que soníferos?

Image hosted by Photobucket.com


Pra quê drogas artificias se a quimica mais poderosa está na sua cabeça?

TOME, SINTA, SEJA...

UTOPIA


Image hosted by Photobucket.com


...e venha para o "maravilhoso" mundo real dos humanos.



*ela me falava muito isso antes de cortar os pulsos. Hj em dia ela está casada e num mundo que denomina "real". Bom pra ela...espero.

Selph - 3:10 PM

0 Comentários

idolatrados - 04/03/2005

Ídolos na música. Comuns a grande maioria. Eu gosto de todos eles, mas de vez em quando vejo algumas jocosidades nas suas músicas. Fatos que passam em branco devido ao gigantesco numero de "paga paus" que existem para cada um deles


***


Rock (ou roque)



“Somos quem podemos ser / Sonhos que podemos ter”


Eu sou um elefante roxo com bolinhas amarelas. Ora Sr. Gessinger! É claro que nós só podemos ser quem somos, mesmo pq se formos ser o contrario não estaríamos sendo de verdade coisa nenhuma e... AHH!!! Chega! Algumas letras dos EGHW são um ranço pseudo existencialista escroto de tão enroladas e pretensiosas...

E olha que tem algumas legais. Quanto a segunda estrofe, bem, sonho é sempre uma parada utópica, então nem vem com essa de que “podemos ter”. É claro que podemos! Seu gaúcho de trancinhas! Sonhos são justamente pra isso! Pra extrapolar de vez! Agora se vc está falando de sonhos realizáveis seria melhor trocar a palavra por “projetos” ou “metas”




“É preciso amar... áár!! As pessoas como se não houvesse amanhã / Pq se vc parar... áár! Pra pensar... / Na verdade não há... áá!”


É claro que é preciso.

Mas... como se não houvesse amanhã?

Pense bem: Se amanhã vc estiver atravessando a rua e vier um playboy bêbado e ter atropelar, hum... finito né? Então o mundo acaba pra vc...

Consequentemente o “amanhã” tmb não existirá mais. Mas só pra VC. O mundo continua e sempre vai haver um “amanhã”. Nem que seja pro cachorro...

Até se acontecer um guerra nuclear ou BIG BANG ao contrário e formos sugados pra puta que pariu, ainda assim vai existir um “amanhã”, pois se levarmos em conta o fator TEMPO (e ele nunca pára, já dizia um redundante Cazuza) o amanhã vai existir para todo o sempre. Amém!

Mas é claro... o Sr. Manfredini se referia aos reles humanos e sua ânsia egoísta. Ainda bem! E parando pra pensar como o autor propõe, chegaríamos a conclusão de que a estrofe acima é de um egoísmo tão grande que chega a ser agradavelmente humana!

Daqui a pouco eu já vou estar citando a Pitty em “Semana que vem” então é melhor parar por aqui...

MPB (Musica populista brazuca)




“Vc é linda... mais que demais / Vc é linda sim!”


Nossa. Deve ser mesmo!

Odin... custava dizer só que a moça era bela? “Mais que demais” Aff... Precisava dessa redundância imbecil?

Linda já um adjetivo máximo

Tipo: “Vc não é apenas bonita, vc é LINDA!”

Mas não! É necessária a constatação do óbvio (“vc é linda sim”), e tudo pra que? Pra dar um ritmo a melodia. Ritmo que poderia ser conseguido se o autor retirasse a sua fudida bossa e adicionasse um pouco de simplicidade as suas letras. Mas o que esperar de um cara que rimou “Etâ” com “Tieta”? E tem gente que ainda o chama de gênio...

As mulheres dirão: “Ah... Mas ficou lindo!”

É... mais que demais... pff....




“Vamos fugir / Pra outro lugar”


Eita! Maconha da boa!

Se vc vai fugir, com toda a certeza vai ser pra outro lugar. Meio óbvio não? Além do que está implícito na ação.

Vai saber... Quem sabe os discípulos de Gil Rasta filhote de Gandhi já estivessem cansados de fugir sempre pro mesmo lugar...

"Leave me alone! Pra poder puxar um baseadinho... leave me alone!"

Pagode (fundilho de quintal)




“Deixa a vida me levar (vida leva eu)”


Mesmo se vc se revoltar;
Mesmo se vc se acomodar;
Mesmo se vc beber até acetona;
Mesmo se vc agradecer a Deus;
Mesmo se vc estiver na merda;
Mesmo se vc “ir levando”;

E mesmo se isso tudo não acontecer...

A vida te leva, Zeca. Não é preciso pedir...

Axé (Saravá!)




“Poeira / Poeira / Poeira / Levantou poeira”


Ainda bem. Pensei que tivessem levantado merda.

Odeio expressões formadas, mas como sou idiota o bastante para usa-las, então relevo

Quanto a música. Ahnn... O que falar de tal merda obra-prima?

Poderia dizer que ela esqueceu de falar: “Levanta e dá a volta por cima”

Que tem um significado secreto que é o de levantar a moral do brasileiro nas horas difíceis. Ecos desses versos são escutados atualmente em qualquer lugar: praias, estádios com times perdendo, Câmara dos deputados, enfim...

...sempre com o resultado nulo.

Canções de amor sempre soam fúteis pra quem não está apaixonado. Agora quando juntam amor/carnaval/rima pobre, o resultado é no mínimo broxante.

Mas não pra um país inteiro que se amarra em sacudir poeira. Deve ser por isso que ninguém vê mais porra nenhuma...

Brega (miúsic)




“Eu tenho tanto pra lhe falar
Mas com palavras não sei dizer”


Adivinha só. Ele falou tudo o que queria no resto da música

E mais: com palavras

Eu queria ver ele falar com gestos. Talvez não role, já que pra falar são necessárias palavras, mas pra se comunicar os gestos dão conta

Mas tudo bem, ficaria feio: “Eu tenho tanto pra lhe comunicar, mas com palavras não sei dizer”, né?

Tudo pelo amor! Já dizia o portuga: “Todas as cartas de amor são ridículas”

Mas pq será que o amor tem que tornar os seres megalômanos? (“Nem mesmo o céu, nem as estrelas / Nem mesmo o mar e o infinito / Não é maior que o meu amor / Nem mais bonito”)

Talvez não seja sempre assim. Talvez seja só uma característica do brega que impera nos sentimentos das pessoas e as tornam...ridículas?

Não sei...


***


Mas sei que existem maneiras menos:

pseudo existencialistas
egoístas
redundantes
óbvias
cômodas
broxas e
bregas...


...de fazer música. Felizmente.

Selph - 11:37 AM

0 Comentários

de manhã fez frio... - 03/03/2005

\Em dias assim eu acordo de madrugada/

\Fico hipnotizado com a boca cheia de espuma Kollinos/

\Vou pra parada junto com as estrelas/

\Aspiro a névoa pura, ainda imaculada sem a presença da fumaça/

\...e me dou conta de que sou uma contradição ambulante/

Selph - 8:48 AM

0 Comentários

polaroid - 01/03/2005

É tão lindo...


foto tirada por turista




Ver os estrangeiros cultuando a miséria material e intelectual do povo

É tão original...



Sermos tão "simpáticos" com os que vem de fora e tão fdps com os que são daqui.

É tão engraçado...



Fazermos piadas sobre os nossos problemas, defeitos e preconceitos.

É tão fácil...



Falar sobre essas coisas...

É tão massificante...



Sentir orgulho ou se revoltar perante isso

É tão latino americano...





Ser alegre, mas não ser feliz.

É tão hipócrita...



Dizer que essa tristeza não é a fonte da sua beleza

Ah...

Mas mesmo assim... é tão lindo!

Selph - 2:32 PM

0 Comentários