<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

pq - 25/01/2006

pq existe algo além de mera imagem e informação

pq trabalhamos com variáveis desconhecidas e mesmo assim obtivemos um resultado conhecido

pq a distância pode ser medida em saudades, além de kilômetros

pq antes de encontrar a resposta é preciso achar a pergunta

pq a redundância depende do modo, do dia, e até da pessoa para ser realmente... redundante.

pq por mais que o tempo apague imagem, toques, cheiros ou palavras, ele nunca vai apagar sentimentos. Quem faz isso somos nós...

...logo, temos o poder.

pq... não tem sentido

...e mesmo assim faz.

nós

...o virtual é o real em potencial*


*PIERRE LÉVY

Selph - 2:40 PM

0 Comentários

nas terras de Castro... - 23/01/2006

A TV gosta mesmo de aumentar as coisas.

Não, não tem um monte de negros lutando capoeira a cada esquina e nem nativas seminuas jogando os búzios e lendo a sua mão.

Nem toca Axé toda hora.

...na verdade nunca vi tantos gringos num espaço tão pequeno.

Espaço = bairro da Barra (onde estou hospedado)

Eu tmb queria o que né? A Barra está para Salvador assim como Copacabana está para o Rio de Janeiro.

Sol, praia (não as melhores da região) e... gente pedindo adoidado.

Típico de locais onde tem turistas ($$), mas que às vezes chega ser embaraçoso. Como o que aconteceu no Pelourinho semana passada.

"quer comprar?"

"não brigado"

"compra vai! é barato e me ajuda..." - jogando os colares na mesa

"não estou afim, obrigado viu?"

"poxa... compra e me ajuda!"

"já disse que não! vai lá irmã, me deixa tomar a cerveja em paz, por favor?"

silêncio no local

"eu não sou cachorro pra ser tratada assim"

"eu te chamei de cachorro? só disse que não quero comprar nada"

"...tudo que vai volta, saiba disso!"

"ei! cuidado ao jogar pragas, podem voltar pra vc sabia?"

legendas:
amigo nosso,
vendedora de rua,
mãe de Gwen

É aquela velha estória deles quererem que vc sinta PENA deles. Pois sentido pena vc dará muito mais...

A Bahia em si tmb tem um lado muito místico. É como se a mistura de culturas tenha gerado um ar diferente. Algo bem eclético e misterioso, como uma amálgama de religiões.

Que por sinal está bem presente por aqui. As 365 igrejas católicas que contrastam com a cultura de um povo naturalmente pagão, que o digam.

Misturas, tons, sabores e ritmos diferentes.

Praias lindas.

História antiga bem casada com a atualidade. Tanto pro bem quanto pro mal.

Tudo isso girando na 3º capital do país.

Tudo isso girando dentro da cabeça de um blogueiro que viajou umas tantas léguas pra conhecer alguém de quem a única informação que dispunha eram textos e imagens.

Não busco idealização ou méritos. E a palavra "loucura" foi riscada temporariamente da minha cabeça. No lugar dela existe a palavra "realidade".

...e possibilidades. Várias.

Saudade antecipada é realmente um sentimento estranho.

Selph - 10:15 AM

0 Comentários

atual - 18/01/2006

"tem dias em que
eu não estou nem aí
e tem dias em que...
sei lá, entende?"


---


tem coisa mais sexy, atraente e moderna do que a atual ideologia juvenil?

strani, mondo strani...

Selph - 7:19 PM

0 Comentários

tchau Rio - 15/01/2006

Fui embora da cidade de São Sebastião no dia 5 de janeiro.

Cheguei na terra de todos os santos no dia 6. Mas não no horário. É aquela incrível mágica que as companhias de transporte tem de transformarem 24 hrs em 28...

Que seja.


~~~


Esse post tá pra lá de atrasado. Então serei breve:


OBRIGADO A VCS



...não sou muito bom com palavras de agradecimento, alias, ainda tenho um grande bloqueio no que diz respeito a demonstrar meus sentimentos. Os que me conhecem pessoalmente sabem disso. Então, em vez de destilar palavras pra tentar traduzir sentimentos de agradecimento, apelo para as imagens dessas três figuras que tornaram a minha estadia e da Gwen, uma verdadeira amostra de que DEFINITIVAMENTE existe um resquício de autenticidade na Internet. Algo que talvez gere esperança em outros que anseiam seguir um caminho pra conhecer pessoas com quem tiveram algum tipo de identificação. Este mundo me permitiu isso e muito mais. Não sem o devido "filtro solar", é verdade, mas com algo além disso.

Um sentimento universal e facilmente traduzido pelos mais diferentes idiomas e/ou sotaques.



Amizade



~~~


Despedidas são melancólicas e não totalmente tristes. Evocam um lado que vive na penumbra da mente. Depois escrevo sobre isso

Alias,

Finalmente descobri "o que é que a baiana tem"

Alias,

Depois escrevo sobre isso.

Selph - 2:41 PM

0 Comentários

ipanema no ar - 10/01/2006

In Rio...

...e sem ter o que fazer durante uma manhã inteira. Felizmente o dia estava ensolarado e a pedida seria dar uma volta pela praia. Sugiro a idéia pra ela e logo estavamos prontos pra conhecer os dois locais arenosos mais famosos da Cidade Cartão Postal: Copacabana e Ipanema.

Porém, assim que botamos os pés pra fora do prédio surgem as primeiras gotas de chuva. É, Murphy...

E o pior é que não passavam e nem engrossavam de vez. Ficavam naquela de chove não molha chato, porra! Parecia até São Paulo...

Buso, metrô, pernas, e logo estávamos em frente ao Copacabana Palace. Manjado pra caramba, eu sei, mas pra dois bichos do mato que nem nós o importante era marcar presença. O dia continuava adoravelmente nublado.

Após tirar 4 fotos (duas do hotel e duas da praia cheia de gringos) resolvemos tentar a sorte em Ipanema, vai que até lá o clima melhora né?

Chegando no famoso calçadão, constatamos que realmente ali é um local de elite, de pessoas finas, diversificadas, com a mente aberta e outra visão de vida...

- Porra, quanto viado!

- Vc acha? Eu creio que vc está enganado...

- Ué? vc não percebeu? Olha aqueles dois ali, é... aquele ali com a blusa da Inglaterra. Blusa não, top.

- Impressão sua. Só estou estranhando que nesta parte da praia não tem muita mulher.

- Deve ser pq eles expulsaram todas. Sinto que aqui deve ter rolado um massacre de fêmeas.

- Deixa de viagem, Sete...

- Vem, vamos dar uma volta e tomar algo.

Eis que assim que saímos da barraca em que estávamos nos protegendo da garoa...

ui,ui,ui


- ...

- ...

- Puaf! Não te disse?

- Disse o que?

- Olha lá

- Onde?

- Ali, na direção daquela tenda...

- Aqueles tiozões passando bronzeador uns nos outros?

- Não. Aquela bandeira!

- Ah! O que tem?

- O que tem? Vc não sabe o que ela significa?

- Não...

- Vem cá que eu te explico...

Procurei sair da vista dos homens do local, alias, chama-los de homem era sacanagem...

Após explicar o que significa a dita bandeira, pedi pra Gwen voltar a prestar atenção nos belos especimes que passavam perto de nós e olhavam pra ela com um certo ar de enjôo.

- Viu só? Não te disse?

- Porra! Quanto viado!

- Pois é, até que alguns parecem simpáticos, quer dizer, eles olham pra mim de maneira simpática, já pra vc...

- Ah, nem todos né?

- É verdade. Quem nos visse agora diria que eu sou machista e vc retrográda.

- É, não vamos ficar fazendo comentários sobre eles. Temos que respeita-los

- Pois é, só por que eles tem uma opção diferente que a nossa? Nada a ver, né?

- Isso. Vamos dar uma volta e ver mais da praia

- Ok, é... olha aqueles dois...

- Ahan... er... unhpf...

- cof, cof, ernr... ahan...

- HAUAHUAHAUHUAHUA!

- Ei! pára de ri...AUHAUHAHAUHAUHA!

- Não dá, HAUHUAUHAUAHA!

- Não deixe eles perceberem que estamos rindo deles.

- É, vc seria massacrado. Já pensou?

- Já. Eles me empalariam pelo cu no mastro daquela bandeira por não respeitar o movimento. Eu ficaria ali apodrecendo pra servir de exemplo pra todos que ousarem desrespeitar a causa

- HAUAHAUHUHAUA!

- E vc seria acorrentada naquela ilha ali. Conhece o mito de Andrômeda? Pois é, vc ficaria presa naqueles rochedos esperando a POWER-PINK-SUPER-FASHION-FERA-DO-MAR vir sodomiza-la...

- HAUHAUHAUAHUAHUA!

- Hehe!

- Seria uma fera gigante. Um mega polvo rosa que em cada tentaCUlo teria consolos prontos pra me detonar. Ela iria submergir fazendo o barulho: "UUUUIIIII" e atacaria gritando: "UARHUULLLLL"

- AHUHAUA! E as bichas na praia ficariam entoando cânticos ritualísticos de Village People ou Fred Mercury.

- HAUAUAUH!

Não teve jeito. Descobrimos que o bom humor e a viadagem estão intrinsecamente ligados. E olha que após começarmos a rir, algumas bibas até passaram a simpatizar conosco. Passavam e sorriam pra nós.

Apesar da chuva (de purpurina), a manhã acabou sendo divertida. Divertida não, "UM LUXO!", hehe!

E pra quem por ventura não tiver gostado das nossas colocações (ui!) um tanto quanto grosseiras, ora, é tudo brincadeira! É de sacanagem mesmo.

E por favor, não venham com discursos prontos ou algo do tipo. Pois não se trata de discriminação. Confundir sacanagem com discriminação é muita burrice, para não dizer "frescura" ou "viadagem".

P.S - Ela tmb tem postado sobre a viagem. Com muito mais sentimento e propriedade, digasse de passagem.

P.S 2 - E como todo caboclo, eu tmb tirei uma foto do Cristo Redentor. E BEM NÍTIDA. Vejam que lindo!

quase nítido não?

O Rio de Janeiro continua lindo...

Selph - 9:59 AM

0 Comentários

in Rio - 04/01/2006

Fui embora de São Paulo.

Cheguei ao Rio.

e a conheci.

Ela é como dizem por aqui: "Sangue Bão!"

E a sua adorável familia? O primogênito (vulgo pacote) tem misturada a irreverência total da mãe com a calma bem humorada do pai, que por sinal tmb não fica atrás em simpatia.

Adoráveis.

Assim como ela.

- Aeroporto Galeão. 18:45 hrs. 29/12/05 -


Atrasados. Tínhamos chegado atrasados para pega-la. Quase meia hora!

Ela estava nos esperando no terminal 1. E eu e minha gentil hospedeira entramos pelo 4.

Andamos um pouco, o coração tava agitado. Talvez pelo instinto arisco de sobrevivência, logo ele saberia que iria bater numa velocidade em que não estava acostumado.

A vislumbro de longe. Sentada e com as pernas displicentemente apoiadas em cima da sua mala vermelha. Cabelos lisos, negros e cortados na altura da nuca. Olhos perdidos direcionados a saída do seu terminal. Um certo ar de impaciência no rosto, talvez um resquício de ansiedade...

É ela, Engraçadinha diz.


!!!

Ela nos vê, e abre a boca de espanto como costumava fazer na web cam. Chega perto apressada. Abre a boca e fala algo, mas eu não ouço nada. Ela sorri e me olha. Larga a mala vermelha para o lado e fica me olhando a mais ou menos um metro de distancia.

Ela tem um ar de menina rebelde, mas seu olhar e o seu rosto corado mostram bem mais que rebeldia. Mostram autenticidade, vida, presente...

Silêncio.

Sorrisos bobos.

Timidez.

Aproximação.

...


Engraçadinha diz que nós ficamos abraçados por pelo menos uns 10 minutos. Eu não creio que tenha sido tanto assim, mas talvez ela esteja certa. Perdi um pouco a noção de tempo naquele instante.

Eu não te disse que vinha?, falei.

Sim, é real..., ela responde.

...o momento é real. E nosso., completo.

Muitas coisas aconteceram de lá pra cá. E só se passaram 5 dias.

Muitas coisas eu vou contar aqui, outras eu deixarei registradas apenas na memória.

Como uma paisagem que vc não conseguiu fotografar, mas que irá guardar na mente por toda a sua existência.

Até lá.

Selph - 4:04 PM

0 Comentários