<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

mi casa... - 26/03/2007

...nuestra casa.

Há pouco mais de um mês atrás, minha irmã me confiou uma missão: tomar conta de sua casa enquanto ela estivesse na Europa junto com meu cunhado e levando minha mãe a tiracolo.

Posso dizer que cumpri a missão com louvor, já que, junto a casa ainda obtive o bônus de tomar conta do que vinha dentro.

Legal. Tudo na paz na primeira semana, visto que minha irmã calculou (ou pelo menos ela pensou assim) tudo o precisaríamos de mantimentos, grana e coisas de uso geral. Mas teoria é coisa do capeta, e logo a prática iria nos mostrar isso.

Eis que os problemas começam na metade da segunda semana. Primeiramente tivemos uma dificuldade monstra com a empregada. A bicha comia quase toda a comida que nós comprávamos na semana. E olha que nem tocava na que era destinada a ela, era um tal de pegar iogurte, frutas, cereal, acho que até uns nacos no sorvete a maledeta deu!

Sendo assim, quase toda semana acabávamos indo umas 3 vezes ao supermercado pra ter o que comer de manhã e na janta. Essa situação se resolveu quando percebemos que teríamos que jogar sujo com ela. E assim o fizemos. Fomos na surdina e ligamos um pequeno freezer que havia por lá e começamos a esconder nossas guloseimas ali.

O bolso que já não andava bem das pernas (a empresa onde trabalho tinha atrasado o pagamento em 20 dias) começou a chorar. Consolando aqui e ali, fomos dando um jeito de sair por cima da situação.

Além da comida, ainda havia o quesito transporte. Eu tenho rota pra ir pro trabalho, mas estava em outro bairro, e como havia um carro sobrando na garagem...

...eu peguei né?

Preguiça é um bicho maldito mesmo. Todos os dias eu acordava um pouco mais tarde, tomava café em casa e levava a Ban pro trabalho, somente depois ia pro meu.

Prometi que só ia fazer isso quando fosse estritamente necessário. Mas a felicidade me sorria por coisas simples e inéditas pra mim! Empolgado, esqueci da minha promessa e resolvi fazer isso todos os dias...

...foi uma resolução sofrivel. Aprendi a duras penas a diferença prática entre um 1.0 e um 1.6.

Totalmente alarmado, meu bolso entrou em convulsão e só melhorou (um pouco) quando me lembrei que a caranga tmb bebia álcool. Se bem que... com o álcool a R$ 1.79 o litro e andando em média uns 35 km por dia o colapso tinha sido apenas adiado.

No entanto, as semanas correram de forma agradável.

Lógico que a lei daquele físico maldito não tardaria a aparecer:

- O teto do quarto, ou melhor, a borda de adorno que é feita de gesso, simplesmente despencou nas nossas cabeças numa madrugada aí. Eu saí ileso, só com um pequeno inchaço no lado esquerdo. Já a Ban conseguiu um belo corte no couro cabeludo, três pontos e uma tomografia que felizmente não acusou nenhum dano. Eu bati um raio X da cabeça só por dessencargo de consciência e o médico disse: "Fique tranqüilo, não tem nada aí dentro". Rá, grande novidade...

- Os cachorros além de só comerem ração especial pra filhotes e cara toda a vida, ainda viraram a cara pra ração barata que compramos. Alias, nem tanto. Um deles comeu um pouco e teve uma caganeira generalizada. Todo dia de manhã a gente acordava com um despertador olfativo. Se é que vcs me entendem...

- Ainda os cachorros, na véspera da chegada dos donos da casa, o Rolf (labrador) não tinha o que fazer e derruba a emprega na piscina. Antes fosse apenas isso, na queda a empregada se enrosca na Jade (rottweiler) e acabam as duas na piscina...

- ...que por sinal estava azul. Tinha me dado um trabalho filho da puta mantê-la assim já que estamos em período de chuvas aqui na cidade. Resultado: quando minha irmã e o cunhadão chegaram, puderam desfrutar de uma exuberante sopa de ervilhas no quintal. Ah sim, e uma garagem cagada no capricho.

- Seria demais, mas tmb tenho que dizer que dois caras foram lá numa tarde e se passando por "pesquisadores". Queriam pq queriam entrar na casa pra realizar a pesquisa "quantos cômodos a casa tem?". Sorte(?) que a empregada é sonsa só na hora de contar se comeu nossa comida, pois na hora em que eles estavam lá, ela se trancou na casa e soltou os cachorros. Depois ligou pra Ban no trabalho com os nervos à flor da pele. A Ban ligou pra mim. Eu liguei pro meu pai e pedi pra ele passar lá pra dar uma olhada. Ele foi com a polícia e... bem, a gente ficou paranóico durante o resto da estadia.

Depois de tudo isso só posso chegar a conclusão de que brincar de casinha é coisa pra adulto. E eu ainda sou criança (R$$$$$)

E o meu bolso? Morreu.

Marcadores:

Selph - 2:40 PM

0 Comentários

um por um - 23/03/2007

Para alguns homens é difícil admitir o fato de que a hipocrisia reina em momentos em que só o ego já resolveria.

Exemplo: um cara comum e sem nada demais que seja comprometido com uma mulher que tenha atributos que saltem as vistas.

Sempre que o dito cujo passar por algum lugar onde haja outros homens, vez ou outra irá perceber os olhares de cobiça ou até mesmo os galanteios de uns e outros mais ousados.

A primeira sensação que ele sente é raiva. Lógico, afinal de contas a mulher está com ele e não é nenhuma mercadoria exposta em uma vitrine. Segundos depois um outro sentido aflora: orgulho...

Sim, muitos alguns gostam de ver sua mulher sendo cobiçada. É quase como uma garantia de qualidade absoluta. Tipo, "se outros além de mim reconhecem, então é pq meu material é de primeira".

É claro que isso soa escapista, egoísta e até inseguro demais, porém é perfeitamente aplicável. Mesmo pq, as vezes precisamos de coisas superficiais para sobreviver dignamente, não por causa do sentimento entorpecedor que elas nos trazem, mas sim por sua simplicidade.

Até mesmo as mulheres se rendem a isso. Nem que seja na esfera mais intima da sua mente.

Vc aí que tem namorado, me diga, que qualidade te chamou a atenção nele?

Não seria porventura, alguma qualidade que atraia outras com pensamento igual ao seu?

Em outras palavras: vc não se sente feliz por saber que... está com uma pessoa que além de te agradar tmb possui atributos importantes para um número considerável de mulheres? E tenha certeza, sempre existem várias pessoas com gostos parecidos ao seu...

...mesmo pq, qualidade (qualquer que seja) sempre é procurada.

Não me parece pecado admitir isso. Então pq não abrir a boca de vez em quando e dizer: "Sim, estou com ele por causa da beleza tmb"? Ou do sexo bom, ou da pegada... Enfim, das coisas que o politicamente correto e a turma xiita da "beleza interior" condena, mas que vc sabe que são sim IMPORTANTES. Em contextos diferentes é verdade, mas importantes.

Às vezes, nem é tão útil dizer isso aos outros, mas sim a vc mesmo. Soa mais leal e certamente evita muita dor de cabeça com problemas de auto-afirmação fajuta.

Assumindo o risco ou o sentimento a coisa se torna muito mais simples. E prazerosa.

Marcadores:

Selph - 11:22 AM

0 Comentários

03 - 12/03/2007

Com tanta coisa na cabeça nem lembrei que...

* * *


++ 2004 --> In Loko Again


2005 -->




<-- 2006




* * *


...já se vão três anos.

Marcadores:

Selph - 2:00 PM

0 Comentários

? redecorteR - 05/03/2007

"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina.
Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente.
Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.
Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria.
Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara pra faculdade.
Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando...
E termina tudo com um ótimo orgasmo!!! Não seria perfeito?"

Charles Chaplin



Ora Carlitos...

Mas já é assim.

"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina"

Em muitos alguns casos, é como ela começa.

"Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente."

Algumas culturas consideram o ato de viver apenas como um ciclo que quando terminado nos torna perfeitos o bastante para ir de encontro com aquele (ou aquilo) que nos Criou, a fonte, que por sinal foi de onde saímos no ínicio...

"Nós deveriamos morrer primeiro, nos livrar logo disso..."

Seguindo essa lógica, vc deixa de existir como "ser imaterial" e ganha um corpo.

Deixar de existir = morrer.

"Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo"

Estar muito novo em um asilo significa que vc não precisa mais de cuidados especiais e já pode se virar sozinho. Acontece a mesma coisa quando vc cresce.

"Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar"

Neste caso vc ganha uma carteirinha azul. Ou não. Bem, alguns ganham carros, dinheiro, ah tantofas...

"Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria"

Idem ao real. A não ser o fato de vc ter lembranças da juventude vivida, não da velhice.

"Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara pra faculdade"

Quantos coroas vc conhece que fazem isso? Alias, alguns começam a se cuidar a partir da maturidade profissional e física. Não é a toa que existe aquela frase "A vida começa aos 40". E em vez de faculdade, eles vão mais a festas e a farras. Pensando bem (e vendo o DVD da formatura de minha irmã) a faculdade não está de todo descartada...

"Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe"

Em vez de ir pro colégio "aprender" aquelas matérias chatas, vc gasta o dinheiro que juntou a vida toda e vai viajar, conhece o mundo e é claro, se for solteiro pode arrumar várias namoradas. Se for casado, poderá ensinar aos filhos e netos o que vc aprendeu. Com o tempo, a "segunda infância" chega e vc de fato se torna dependente de tudo. Igual a um bebezinho de colo. E a "volta ao útero da mãe" é o estado entre a caduquice e as lembranças que passam... Estado surreal, que não pertence mais a este mundo...

"Passa seus últimos nove meses de vida flutuando... E termina tudo com um ótimo orgasmo!!! Não seria perfeito?"

"Flutuando" - O estado de extâse atingido antes da morte.

"Orgasmo" - A morte, o fim dos sofrimentos carnais e o começo de uma nova existência.

"Não seria perfeito?" - E é. A vida oras, apesar de tudo...

Marcadores:

Selph - 10:20 AM

0 Comentários