<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

cinzas... - 26/02/2007

É só o que sobra.

Depois de várias "batalhas" por entendimento, por posições, idéias, argumentos, mentiras e verdades... O que sobra no final são cinzas. Cinzas de coisas, cinzas de pessoas.

O Bloguemia Cabocla foi um grupo que existiu dentro de 7 cabeças, de 7 blogueiros, durante aproximadamente 7 meses...

Parece a Besta do Apocalipse, mas não é. Ou melhor, não foi.

Cada um (ah! eu poderia falar sobre cada um, mesmo que superficialmente) tinha uma personalidade extremamente diferente. Personalidades diferentes, mas com um gosto em comum: escrever. E foi assim que aconteceu. Nós conhecemos, porém, além disso, nós misturamos. Muito.

Entenda por mistura desde alguns romances furtivos até um namoro e amizades que nasceram.

E como o cachorro que vive preso e quando sai pra rua faz merda, nós 7 começamos a pagar o preço de termos nos misturado tanto. Ciúmes, brigas, alguns xingamentos aqui, outros apelidos carinhosos acolá.

Um membro que se retira, outro que se isola, outro que viaja e fica longe por dois meses. Gente tentando reviver as cinzas e gente botando mais lenha na fogueira do circo.

Tudo isso num espaço de tempo relativamente curto.

Agora eu sei. Pessoas não se misturam por imposição, mas sim por vontade própria. O lance é que a vontade própria às vezes é tão forte que se torna uma imposição.

E os diferentes se misturam pra tentar se entender, coisa que muitas vezes acaba transformando-os em vitimas dessa imposição.

Coisas da idade, da empolgação e pq não? Da imaturidade de todos nós...

Hj em dia o Bloguemia está mais que morto. Está extinto.

Morte é diferente de extinção. Morte pode acontecer com qualquer um, entretanto a espécie, o que sobra, segue em frente. Já a extinção é total e irrestrita.

Talvez eu só esteja enxergando isso de maneira individualista. Alias outra característica que o grupo teve muito. O individualismo total em alguns. Eu incluso.

E hj, olhando pra ultima "batalha" que ocorreu, vendo como os relacionamentos se desgastam e entendendo que isso faz parte de ciclos, eu pergunto: o que aprendi com tudo isso?

Realmente a experiência nos torna mais sábios? Mais humildes? Mais... humanos?

Ou estamos numa roda de repetições cujo principal objetivo seja, cada vez mais, mostrar-nos ao mundo como verdadeiramente somos, até escorregarmos novamente nos nossos próprios erros?

É triste o desenrolar de algumas coisas. A gente tenta tirar o melhor de cada desfecho, mas tirar alguma coisa de cinzas é difícil. A fênix não costuma a dar o ar de sua graça sempre...

Parece muito triste? Pois é. Este é primeiro escrito assumidamente triste que coloco aqui. É triste lutar contra quem antes estava do seu lado. É triste cometer erros feios ou ser vitima deles. É triste saber que as coisas acabaram em cinzas e não em esperanças.

Bem, dizem que alguns tipos de cinza são bons pra adubar. Veremos se o que planto hj dará uma boa colheita amanhã.

Marcadores:

Selph - 2:45 PM

0 Comentários

+ alvo + - 22/02/2007


Não é surpresa que a cada dia que passa, mais e mais jovens estejam optando por morar com o pais ao invés de ir atrás de um canto só seu. Alguns podem pensar que isso seja comodismo. Talvez, mas tem um pouco de praticidade tmb.





Urubserve:

- Hj em dia não é mais obrigatório necessário uma moça se casar antes dos 30, logo, sair de casa pra ir morar com o marido não é mais uma constante como era anos atrás.

- Emprego legal e bom local pra morar são coisas mais difíceis de encontrar.

- Tendo casa garantida, os jovens podem aproveitar o resto do tempo para se preocupar com outras coisas, como estudo por exemplo.

- Muitos pais passam a profissão e os bens materiais (casa, carro, etc) para os filhos. Geralmente quem acaba ficando com isso são os caçulas, visto que os primogênitos tem uma tendência maior a sair de casa.

- O número de caçulas aumentou. As maiorias dos casais do meio da década de 70 até 80 tiveram mais de um filho.

- Com isso, os casos de herança são mais freqüentes.

- Além do que, a era da "liberdade geral e irrestrita" acabou devido ao aumento da violência.

Lógico. Nada substitui a sensação de ter algo construído com as próprias mãos e de ser finalmente dono do seu nariz. Porém, dependendo do caráter e das condições ($$) de cada um, isso pode ser construído dentro de casa.

Eu sou um exemplo.

Entretanto eu tmb penso em morar só um dia, em ter minha casa (embora eu prefira apê) e minhas coleções de livros jogados por lá...

... porém tmb penso que passar de uma: situação agradável e vantajosa para outra em que não sei bem aonde vou parar apenas por causa do ego, seria precipitado.

No momento atual é claro...

Só que o problema do momento atual é que ele tem o péssimo hábito de se transformar em pra sempre. Quando vc percebe já foi...

E é por aí que ando. A idade chega e o futuro que costumava a andar lento agora voa.

Vc fica meio que tendo que escolher pra qual lado atirar e rezando pra dar certo de primeira. Resquício humano natural, ninguém gosta de sofrer.

Na maioria das vezes as pessoas fazem essa escolha de maneira aleatória (a vida vai seguindo e levando, levando). Ou em outros casos alguma coisa acontece e muda o rumo. Por exemplo: filhos, amores, ofertas de emprego, estudos.

Sinceramente... não sei a que grupo pertenço, talvez aos dois. Aliás, existe um terceiro grupo. O grupo daqueles que planejam e cumprem. Ou pelo menos fazem de tudo para cumprir.

Não sei, estou mirando. Pela primeira vez em 26 anos estou mirando. E sozinho, já não posso (e não devo) mais pedir ajuda.

Se vou acertar ou não, aí são outros quinhentos.


Marcadores:

Selph - 12:30 PM

0 Comentários

pequeno detalhe... - 12/02/2007



Existe uma teoria cientifica que afirma que no início todas as espécies possuíam apenas um sexo, ou melhor, ambos, pois eram hermafroditas. Possuir ambos os sexos era vantajoso em alguns casos, porém em outros, expunha a fragilidade de certas espécies cujo cruzamento genético resultava em indivíduos totalmente estéreis.

No entanto, para ocorrer tal cruzamento, era necessário que um dos indivíduos assumisse o papel de macho, sendo óbvio que para o outro restaria assumir o papel de fêmea. Como a priori os dois eram hermafroditas, existiam fatores externos que influenciavam na hora de decidir quem ia ficar por cima e quem ia ficar por baixo. Tais fatores eram, entre outros:

- fatores climáticos
- ambiente competitivo (fator psicossomático)

Para fatores climáticos se entendia o seguinte: climas frios predispõem o aumento do número de "machos" e climas quentes de "fêmeas". Não me pergunte o pq, coisas da genética.

Já o ambiente competitivo partia do principio de que, quando dois espécimes lutavam, o espécime vencedor (que por sinal tmb era o mais feroz) tinha direito as maiores regalias, enquanto que ao derrotado restava se subordinar ao vencedor.

Estudiosos afirmam que a medida que o tempo passou e os espécimes mais ferozes foram ganhando todas as paradas, o nível de testosterona (hormônio responsável dentre outras coisas pela competitividade e ferocidade) foi diminuindo entre os derrotados.

Tanto que em determinado momento eles pararam de disputar as coisas e tiveram câmbios físicos notáveis. Os órgãos genitais já nasciam de forma definida. Definitivamente fêmeas, já que o fator psíquico tinha sido condicionado desta maneira repetidas vezes.

Talvez essa origem das fêmeas não seja nada romântica, mas continuando...

...salto de milhões de anos para o presente:



Homem X Mulher


Interessante notar como essa teoria um tanto esdrúxula tem ganchos no presente.

Uma:

É sabido que na gravidez o feto é uma espécie de esponja que absorve tudo o que acontece com a mãe. Logo, componentes psicossomáticos podem influenciar uma barbaridade.

Ok, certa vez conheci um carinha que na infância era pra lá de afeminado. Ninguém entendia o pq, visto que ele tinha um irmão mais novo que era hetero. Depois de velho, o afeminado saiu do armário de vez e virou traveco, desses de operar e tudo mais.

Tempos depois fiquei sabendo o que aconteceu. Quando estava gestante dele, a mãe colocou na cabeça que tinha que ser menina. Comprou roupas, escolheu o nome e até se referia a cria que levava na barriga como sendo uma menina, mesmo o ultra-som mostrando que tal ser era um menino.

Fatores psicossomáticos. Depois dizem que pensamento não tem poder...

Outra:

Num recente censo mundial, foi avaliado que o nascimento de homens é maior no hemisfério Norte (frio) do que no Sul (quente). E a recíproca é verdadeira, a cada dez nascimentos em locais quentes do globo, sete são mulheres.

Mais uma:

Clitóris, o órgão do prazer feminino. Até agora cientistas do mundo inteiro não conseguiram chegar a um consenso sobre a sua utilidade prática. Sim, pq do ponto de vista evolutivo, o clitóris é apenas um pedaço de carne e nervo sem utilidade alguma na reprodução. Já no ponto de vista prático...

Depois de tanto bafafá, talvez a conclusão mais adequada tenha sido esta:

"É um micro pênis só com a glande e as terminações nervosas, feito exclusivamente para dar prazer a mulher" .

Ora, ora, ora...

...temos mais coisas em comum do que imaginávamos.

Marcadores:

Selph - 9:30 AM

0 Comentários

del ocho - 02/02/2007

Sou chavista.



Não, não tem nada a ver com este mané aqui:












...mas sim com este!









Ops! Foi mal. Chespirito, ou melhor, Roberto Gómez Bolaños, não é nenhum mané, mas sim (na minha opinião) um dos maiores heróis que a TV latina já criou, pois atravesar décadas sem fazer nenhum episódio novo e ainda ficar em primeiro lugar no Ibope não é pra qualquer um.

Además, o cara conseguiu criar um humor que se adapta tanto as crianças quanto aos adultos. E como se não fosse batida o bastante esta frase que vou dizer agora: sem utilizar linguagem chula ou apelação

Além do Chaves, ele ainda deu vida a uma ótima sacada sobre a febre dos heróis americanos: El Chapolin Colorado, que por si só já teria feito história ao mostrar uma face mais humana dos ditos "invenciveis". Covardia, malandragem e pq não? Um certo atrativo para com o sexo oposto, coisa que os batmans e supermans da época não mostravam, pelo menos não de maneira natural...

Hj em dia existem formas muito mais sutis de se fazer humor. Vide as animações da Pixar, Dreamworks e até Disney. Aquilo lá não é compreendido nem 50% por uma criança, logo, a simplicidade em se fazer algo pra este publico resvala na falta de opções e, é claro, simpatia.

Marcadores:

Selph - 3:00 PM

0 Comentários