<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

a antiga caixa aberta - 29/04/2005

Me encontrava sozinho junto a televisão gigante da sala. Ela cheirava a mijo (maldito cachorro!), mas resolvi liga-la assim mesmo. Cara, eu tenho TV a cabo, mas não gosto das sitcoms, séries tipo “Friends” (com exceção da própria) e outras baboseiras que tem na programação, ainda mais com o pacote miserê que eu pago...

E com o meu saudosismo em alta, resolvi fazer um Top 10 (uau! que original...) dos desenhos, programinhas e outras cositas bizarras que passavam na programação da TV aberta nos meus anos dourados, ou seja, quando ainda não conhecia o video game, a punheta e os livros...


# # #


10 – Clube do Bolinha (Bandeirantes, que na época ainda não era BAND)




O fim dos anos 80 foram a época de ouro para os programas de auditório. Gostava daquele jeito de coroa safado que o Edson Cury tinha. Fora que, além das chacretes (que tinham um apelo muito putanesco) o único programa em que os pirralhos tarados podiam ver algumas coxas, peitos ou atitudes dignas de Jesse Valadão, era esse. Cenários toscos, apresentações mais toscas ainda, mas pô! Queria o que? Eram os anos 80...

9 – Perdidos na Noite (Bandeirantes)



É bom lembrar que nem sempre o Fausto Silva foi um chato de galochas, com piadas sem graça e jeito de marionete global. Naquele tempo o seu cinismo era bem mais compreendido, além de ser muito mais engraçado. Ah! As atrações musicais tmb eram legais. O fato de naquele tempo ainda não existirem na mídia as duplas sertanejas, os pagodeiros e o Axé, já fazia valer a pena. O programa foi um dos palcos do Brock, que estava em plena efervescência.

8 – Comando da madrugada (iniciou na Manchete e atualmente está no SBT)



Conhecido pelo bordão "Vem Comigo", Goulart de Andrade faz do telespectador cúmplice de um mergulho no comportamento humano. Com reportagens de ação e muitas vezes reveladoras, ele se especializou em mostrar os bastidores da sociedade: os dramas humanos, as profissões de risco, as personalidades exóticas, a sexualidade, a vida na noite e os conflitos nas grandes cidades. "Eu não tenho preconceitos, transito por todas as tribos e falo todas as línguas", afirma.

Existe até hj, mas tá uma merda! Não tem mais aquele cheiro de rua, de sujo, muito menos o jeito de produção barata de antigamente. O que mata programas desse tipo é o excesso de maquiagem.

7 – Documento Especial (Rede Manchete. Porra! Foi só o vovô Adolpho Bloch morrer que a emissora foi junto)




Ricardo Lobo trabalhou por quatro anos enquanto repórter/produtor para a principal série semanal investigativa que chegou a transmitir para 30 milhões de pessoas. Hoje pode parecer pouco, mas na época era uma absurdo.

A série ganhou muitas concessões internacionais, incluindo o “Prince Rainer Award” concedido no festival de TV de Montecarlo. Os assuntos variavam entre temas como o desperdício tóxico, o trabalho escravo e a juventude e as drogas.

O programa era cool, mesmo mostrando uma prostituta acabada com a heroína, ainda assim era extremamente cool e minimalista. Quase bossa nova. A musiquinha de abertura tmb era duca! O programa mais legal pra mim foi o que investigou as seitas satanistas. Explicava cada um dos mandamentos e entrevistava os praticantes. Tudo isso entrecortado com passagens da Bíblia.

6 – Spectroman (Rede Manchete)




"PAM, PAM, PAMPAM! PARANANAM!"


E aí aparece um sujeito feio pra cacete, parece estátua de bronze de índio peruano. Faz umas acrobacias toscas e começa a rodar. Sim! A rodar...

Roda, roda, roda, mas espere aí, ele está crescendo! Ah! Então é pra isso que ele roda tanto. Deve ativar algum mecanismo que use a força cinética. Depois de atingir o tamanho do Godzilla, do nada aparece um monstro cavalar. Com duas cabeças de rato, asas de urubu, patas de leão, corpo de orangotango e um zíper nas costas...

Tudo isso com uma trliha sonora em japonês:

“Supekutoruman, Supekutoruman
Go go go go go go
Chikyu-no boei suru tameni
Nebuura-no hoshi-kara yattekita
Supekutoruman, Supekutoruman
Go go go go go go
Chonouryoku-no saibògu
Supekutoruman, Supekutoruman
Go go go go go go”


E começa a pancadaria! A princípio o nosso herói não quer jogar sujo e começa a luta executando alguns golpes bonitos, mas o monstro não tá pra brincadeira e desce o sarrafo no índio peruano herói. Após apanhar feito um cachorro leproso, o herói se lembra que possui um super golpe fatal.

Mas antes ele decide descontar a surra que levou e parte pra baixaria. Parece briga de picolezeiro por um real! É um tal de pegar carros e tacar na cara do outro, quebrar prédios, pontes, escolas, asilos, creches, AACD, estádio de futebol e por aí vai...

Após destruir Tóquio pela décima vez na semana (consumindo quase todo o cofre público do contribuinte japonês), o nosso guardião dourado da paz e da justiça, dá cabo ao monstro executando o super golpe fatal com um simples movimento de mãos. Pronto! O monstro explode em mil pedaços e a cidade está salva!

Aí começa a tocar a musiquinha do inicio. O herói se despede dos amigos e das crianças que o tinham chamado e sai voando rumo ao espaço infinito.

Enquanto isso o vilão da estória (que usa uma máscara de macaco que não mexe a boca) fica mordido e seu esconderijo e promete vingança eterna.

Ou pelo menos até o próximo episódio.

É uma merda, eu sei. Mas eu ADORO ISSO!

5 – Lionman (Rede Manchete – de novo!?)




“Os ninjas de Okinawa tem uma lenda. Quando as coisas estão mal, surge um guerreiro da justiça, um samurai com uma cabeça de leão e uma mochila cheia de pólvora nas costas. Ele é o LIONMAN!”

Hahaha!

Um samurai que tinha os poderes de um leão. O mais legal era que além dele, existiam os seus rivais/aliados que tmb possuíam as habilidades de algum felino. Eram jaguares, tigres, panteras, jaguatiricas. Pô! Todos com as cabeças dos bichos e a pelugem característica.

Na hora da transformação. Baixava um lado meio Rocketter no samurai. Jogava a capa pro lado e ligava as turbinas da mochila-foguete que carregava nas costas. Voava em direção ao Sol e explodia! E já descia transformado. Bizarro!

Convenientemente os seu inimigos nunca tiveram a GENIAL idéia de acender um fósforo antes da transformação. É... seria bye, bye, Haowmaru!

Mas era muito foda!

4 – Charlie Brown (TV Cultura)



Que puxa...


Quem não lembra do Snoopy? E do protótipo de adolescente loser que era o Charlie Brown? E da turminha? E daquele loirinho que amava Bethoven e que tinha um nome que mais parecia uma escarrada?

Pois é. Crássico! Gostei do episódio em que o Minduim se apaixona platonicamente e quem acaba se dando bem é o Lino. Putz! Me identifiquei (acho que fui loser tmb).

Aquele da apresentação da Patty pimentinha no gelo com o assobio do Woodstock tmb foi legal. Grande Schulz! Vc deixou um herança e tanto meu velho!

3 – Robotech (Televisa, SBT, depois na Rede Globo)




Ok! Agora começa a parte dos Animes. Eu sempre gostei de Animes, tá certo que depois surgiram Cavaleiros do Zodíaco, YuYu Hakusho, Dragon Ball Z, etc. Porém, o primeiro anime que eu curti foi esse.

A série original japonesa se chamava MACROSS, mas como a TV achou-a muito longa e complexa, decidiu fazer um serviço medíocre. Cortar diversos pedaços de cada uma das fases do desenho original, junta-los e relança-los com o nome de Robotech. Essa asneira foi cometida por uns empresários americanos que não entenderam bulhufas do enredo e decidiram transforma-lo em enlatado.

Mas ainda assim era legal. Estranho, mas legal. Lembro que com 5 anos já o assistia na Argentina e achava o enredo confuso. “Mas esse cara não tinha morrido no ultimo episódio?”, perguntava. Incongruências a parte, o anime é ótimo. Um dos melhores.

A estória é manjada. Alienígenas contra humanos. Alienígenas destruem o planeta Terra e os humanos sobreviventes vivem numa fortaleza espacial chamada MACROSS. O exercito desenvolveu jatos que se transformam em robôs para combater a raça alienígena. Depois rola o habitual dos animes: batalhas, drama, romance, encanações pseudo-existencialistas, enfim...

Atualmente passa na Locomotion. Canal da Direct TV

2 – Acredite se Quiser! (Canal 21, TV Cultura)





A consagrada série ACREDITE SE QUISER, comandada pelo ator Jack Palance, foi um dos destaques na grade inaugural do Canal 21. A popular atração da TV americana mostrava pessoas com habilidades extraordinárias, talentos e obsessões incomuns, fatos curiosos, bizarros e extravagantes, casos pitorescos da ciência e da medicina. Histórias incríveis, colhidas ao redor do mundo, que poucos imaginariam que pudessem ser verdadeiras (até hj eu não acredito naquele touro com asas e nem no pedaço de terra falante, mas tudo bem...)

O programa marcou época, deixando na memória suas imagens e suas frases, como:

"Delicie-se com uma refeição de besouros na Tailândia, veja os fiéis que se crucificam nas Filipinas, conheça o homem mais alto do mundo, que nunca pára de crescer... o estranho, o bizarro, o inesperado... acredite se quiser".

1 – TV Pirata (Rede Globo)




Juntar todo o elenco de uma emissora poderosa e coloca-lo a disposição pra fazer (ou tentar fazer) humor já é uma atitude louvável. Mas eu me interessei nesse programa “culto” mais por causa desse cara:




Barbooosaaa....


O humor que infelizmente hj em dia está afogado em clichês e tipos escrotos, ainda respirava nesse quadro. A imbecilidade nata e o estereotipo de “velho babão” botam no bolso uns mil “Seu Créison”...

Fora que lá nos tínhamos atores (pelo menos era o que chegava mais perto) de verdade interpretando e não comediantes tentando fazer tipos.

E apesar de passarem na emissora mais poderosa do país, vc sentia um certo ar (falso, é verdade) de rebeldia e sátira. Bem, diferentes de coisas como “Zorra Total”.

“Malandro que é malandro não dá mole pra mané”

# # #

Selph - 1:06 PM

0 Comentários

(resumindo) - 28/04/2005

A primeira figura não demostrava solidão. Como muitos sacaram, se tratava de uma gravura (aliás, a última) do livro "O Pequeno Príncipe" de Saint-Exupéry.

A figura retrata a paisagem do deserto na qual o Pequeno Príncipe surgiu pela primeira vez na Terra e tmb na qual ele partiu. O autor se refere a ela como "a mais bela paisagem do mundo", pois lhe passava esperança. Sim, esperança regada com um pouco de melancolia.

Terá ou não terá o carneiro comido a flor?


Quase uma saudade. Foi isso que senti. Sabe quando vc tem fé, porém, uma certa melancolia te invade de vez em quando?

Já a segunda, embora se chame "solidão", não foi usada para demostrar a dita cuja. Eu a coloquei pra simbolizar o fato de que não preciso esconder a minha melancolia por medo do que os outros pensem ou digam. Algo totalmente contrário aos que pensam que é obrigatório sempre estar feliz ou na maioria das vezes aparentar estar assim.

Por isso o pôr do sol (que me parecia um mundo "alegre"), a grama (que simboliza a óbvia esperança) e o andar do personagem no meio desse mundo. Nunca se misturando totalmente com eles, mas alheio aos seus efeitos (sombra).

Ou seja: Eu estava melancolico. Sem muito motivo ou razão (acho que essas coisas vem sem explicação e vão da mesma maneira). A diferença foi que desta vez eu não precisei lutar contra isso, creio que aprendi a conviver com essa minha faceta.

Adapto-me. Da mesma maneira que a água, ela flui e passa. Sentimentos fluem. Alguns te fazem flutuar (conheço alguém que está assim, outros te fazem descer ao inferno (tmb conheço uns que estão assim), mas o principal é que todos são passageiros.

Transitórios

Já dizia o sábio Bruce Lee: "Meu amigo, seja como a água"

Ó, pra quem quiser saber mais sobre o Pequeno Príncipe, aqui está o link para o livro online

Amplexos!

Selph - 12:18 PM

0 Comentários

(...) - 27/04/2005





:/

Selph - 11:49 AM

0 Comentários

intranet - 25/04/2005

Conheci diversas pessoas por aqui.

A quantidade não foi grande, mas como frisei, a diversidade foi espantosa!

Acredito que se não fosse pela Internet, nunca ou dificilmente eu encontraria essas pessoas por aí. Os motivos são vários, mas citarei os 2 mais importantes:

1- Eu sou tímido. Não tenho as manhas de chegar numa pessoa que me interesse.

2- A maioria das pessoas que conheci por aqui não freqüentavam os mesmo locais que eu. Logo, era muito improvável que eu as conhecesse sem a influência da internet.

A Net tem seus méritos quanto a isso. Porém, é triste saber que existem pessoas que ainda acham que ela é fonte de alienação. Acredite, se a pessoa se isola ou aliena, não é por causa do ambiente virtual, e sim por problemas que já estavam com ela muito antes...

Conheci pessoas fantásticas por aqui. Conheci ambientes nos quais nunca pensei que fosse ir. Em contrapartida, tmb conheci alguns seres mesquinhos e sem noção. Mas é fato: como na vida real, na internet tmb existem malas. Umas pesadas e outras leves, algumas se acham uma Sansonite mas não passam uma sacola de feira. Outras são realmente uma Sansonite, porém, cheia de estrume.

Mas quem tá na chuva é pra se molhar (clichêzinho tímido) e eu não poderia reclamar, pois o primeiro meio que escolhi pra conhecer pessoas pela Internet não foi o blog.

Nem as salas de bate-papo

Nem os fóruns

Nem o Orkut

Nem as páginas pessoais

Nem as correntes de SPAM

O que restou?

Sim...

Eles mesmos!

Os sites de...

ENCONTROS!

Existem dezenas deles: American Singles, Par Perfeito, Dando Mole, Super Encontros, Paquera.com, etc.

A principio era uma brincadeira, fiz de sacanagem.

Depois comecei a receber e-mails. Tinha receio de colocar foto e falar de mim, mas em alguns desse sites a sua visita fica registrada no perfil da pessoa visitada. Logo, é bem fácil vc saber quem o visitou ou deu uma olhada em seu perfil. A partir daí a figura tem condições de te achar e quem sabe...simpatizar com vc.

E assim foi. Durante seis meses. Receber e-mails, trocar idéias e marcar encontros.

Era uma roda viva. Mas nunca tinha coragem de ir aos encontros. Até que um dia desencanei e resolvi ir...

É lógico que em sites dessa natureza o objetivo é conhecer alguém legal e se dar bem. Ponto! Esse papo de "fazer amizade" é furado, se te disserem isso é pq não foram com a tua cara mesmo. Paciência.

Por isso é importante ter o desconfiômetro ligado e sacar se tal pessoa é o que vc procura e vice versa.

Já deu pra perceber que na época eu procurava por mulheres, não? Meio óbvio isso.

O mais irônico de tudo isso é que a afirmação da qual elas mais gostam: "os homens não tem imaginação e que são todos uns safados" não se aplica somente a nós.

Eu não estou aqui pra contestar ninguém. Homem em 99,98877899% (e mais alguns quebrados) é safado mesmo, porém, tem muita mina por aí que não fica atrás.

Mas sim, como eu dizia: o lance do desconfiômetro é importante. E no decorrer de alguns meses freqüentando tais locais, vc acaba pegando certas manhas. Como as que estão aí embaixo:

Ah! tais observações tmb foram feitas por amigas minhas que ainda tem cadastro nesses sites. Portanto elas são válidas para o sexo masculino tmb, mas vou me ater apenas as do sexo feminino. Sabe né? Questão de gosto...

@@@


quanto aos nick names:

* plinxexinha, nenêm, bebexinha, xibêbe, naninha, garotinha carente, etc. *

Meio na cara não? A simples ausência de maturidade pra elaborar un nick que preste já demostra o nível da figura. Nicks infantis e "fofinhos" querem dizer duas coisas: Ou que a usuária é uma acéfala que não teve infância ou que é uma verdadeira "coelhinha" e trepa como tal. Conselho? Só meta a cara se realmente ela te der bola, caso contrário não insista. Vc sabe como são as crianças, não agüentam ser contrariadas e se vendem facilmente ao primeiro que lhe der o doce mais gostoso.

* dominadora, sonhadora, empreendedora, apaixonada78, sincera81, amiga feliz e por aí vai *

Cuidado! Geralmente nicks que usam adjetivos são totalmente contrários a realidade de quem os usa. São como iscas, tentam chamar sua atenção por meio de qualidades que elas consideram legais. Mas as chances de que vc fique morrendo de sono com o papo de uma "idealista_xd" ou sofra um ataque dos nervos com as asneiras de uma "sonhadora 81", são grandes!

quanto ao papo:

- Erros de português não são o fim do mundo, mas um "a gente fomos" ou "probrema" é de amargar a existência.

- Fuja de quem só fala em compromissos, ex-namorados ou separações dolorosas. Existe uma grande chance do papo enveredar pra esses assuntos se vcs se encontrarem.

- Se pendurar no telefone é ruim. Vc nem sabe se a pessoa é realmente tudo aquilo que diz. Ser prático e direto (mas não sendo grosseiro) é bem melhor. Além de tudo é uma lástima quando vc se encontra com alguém e percebe que o papo já esfriou faz tempo...

quanto ao local do encontro:

É importante que o local não seja totalmente deserto (vc nunca sabe com quem está lidando) e nem entupido de gente (onde é fácil ela te dar um bolo, caso tenha te visto de longe e não tenha gostado)

Nunca procure alguém pela descrição das roupas. Ninguém vai vestido do jeito que disse. Aliás, se for possível, sempre peça foto.

Avalie bem se ela te convidar pra ir em sua casa no primeiro encontro. Tem minas que moram tão longe que vc tem que voltar pra pegar o passaporte.

quanto as mentiras:

1 - Todo mundo mente. Num grau maior ou menor, e isso vc só vai descobrir depois. Ou não.

2 - Ninguém está completamente sozinho. Sempre rolam "estepes". Mas se a curiosidade for muita pergunte uma vez, se ela desconversar deixa quieto... e não deixe de olhar nas mão dela. Ali, no dedo anelar...

3 - Se a figura não agradou nada de choro. Seja simpático. Nunca, em hipótese alguma comente: "Puxa! Mas como vc está diferente da foto!". Pense comigo: se o site é de encontros é lógico que a foto que pessoa colocou lá é a melhorzinha que ela tinha não?

4 - Mas se a foto não era realmente dela (coisa que acontece muito) aí só resta dizer tchau e virar as costas. Só o fato de ter mentido sobre a aparência já demostra que além de ter baixa estima a pessoa liga muito pra beleza de uma maneira anárquica e arrogante.

última:

Não ligue pra esses manés que dizem que nesses sites só tem putas, carrancas ou imbecis. É claro que tem! Assim como no mundo real. Consequentemente, as chances de encontrar alguém legal neles são tão abrangentes (ou mais) quanto fora deles.

@@@


Ainda assim eu prefiro os blogs...

Selph - 8:41 AM

0 Comentários

ficção I - 21/04/2005

“... e creio que o país necessita de mais escolas em vez de mais igrejas”

Ah, mas pra que eu fui argumentar dessa maneira com o cara?

Ele responde:

“Vc não entende. Vc não segue nada, nenhuma religião a fundo e portanto não percebe que o povo necessita de Deus. Como qualquer ser humano”

É... admito que forcei a barra, e por duas razões:

Primeira: Fui discutir com alguém que segue os preceitos do cristianismo ao extremo. Logo, por mais legal e compreensiva a figura seja (e ela é, acredite!) estaria com os seus argumentos e idéias baseados em ideais alheios e não próprios. Neste caso, ele se baseava na Bíblia e seria ridículo da minha parte discutir sobre opções e fé com uma pessoa que estava totalmente absorvia por tal pensamento.

Segunda: Fé e Razão são duas coisas que nunca se deram muito bem. Com exceção de algumas seitas e doutrinas que tentam em vão conciliar as duas, o caminho que aparece na frente quase sempre é o da ruptura. Não estou tentando dizer que os meus argumentos eram o sumo da Razão e os dele os melhores exemplos de Fé.

Apenas acreditei que expondo o fato de que a Igreja é a instituição que mais possui terras ao redor do mundo e que tem o poder de influir nas idéias e posicionamento de um povo, estaria mostrando o quanto esse poder poderia estar sendo mais bem redirecionado, mais democraticamente.

Mas não sou injusto. Existem milhares de lugares ao redor do país (e do globo) em que a Igreja foi o cavalo de tração do progresso: construindo hospitais, refeitórios, e (olha só!) escolas.

Porém, na maioria das vezes apenas a presença do Templo é o que acontece de real em tais locais. Eu até entendo o ponto de vista deles: se vão doar certa parcela de cultura e beneficiamento para o povo ignorante, é lógico que vão querer que a sua filosofia de vida seja doada (e se possível, empurrada) para a maior quantidade de possíveis fiéis em potencial.

Esse esquema de dominação da terra e construção da sociedade por meio de instituições religiosas, funciona muito bem em lugares ermos e quase que selvagens. Mas o que dizer das igrejas que brotam em pleno centro das cidades e que são as primeiras a estarem presentes em locais tão diferentes quanto uma encosta a beira do Rio Amazonas e uma periferia de metrópole?

Note que não falo apenas do segmento católico. Ultimamente a maior via de penetração nestes locais tem sido o meio evangélico. Lembram do fim dos anos 90 quando a expansão de tais seitas foi gigantesca? Era um tal de transformar cinema em templo, sorveteria em templo, teatro em templo e (pq não?) escola em templo.

Nada que os católicos não tenham feito séculos atrás, mas...

...ainda acredito que se fossem preservados mais expoentes da Cultura que não tenham qualquer ligação com dogmas ou religiões....

...atualmente a coisa estaria beeem melhor para a maior parte da população mais carente.

É apenas uma idéia. Acredito que não é a sua devoção a esta ou aquela religião que te salvam.

Acredito que Cultura e o Conhecimento salvam.

O irônico de tudo isso é que todas essas importâncias (cultura, fé, religião e conhecimento) podem ser facilmente manipuladas se o povo for bocó.

Ou seja:

O povo se agarra no que acredita ser mais condescendente com a sua situação. Tipo:

“Pra que pensar nos caminhos torturosos que o país segue se eu não entendo nada disso? Melhor é ter fé e rezar para um futuro melhor. Se Deus quiser!”

estamos nessa há mais de 500 anos...

“Eu não quero pensar na minha situação, não quero avaliar como a minha mente está fodida com a pobreza em que me encontro. Só o que está escrito nas Escrituras é que vai me salvar. Boto toda a minha esperança no que está escrito lá, embora eu faça muitas coisas que a contradizem... Mas no fim, basta me arrepender e assistir ao culto no fim de semana que vai ficar tudo bem”

É interessante notar como a Religião é mais abrangente do que a Razão. Isto se deve ao fato de que a religião lida com variantes que se baseiam na fé e esperança de uma pessoa. Coisas que fazem com que a raça humana tenha logrado feitos memoráveis e também coisas horrorosas dignas de animais.

A religião tem varias facetas, e uma das mais interessantes é que age como consciência dominante do individuo sempre que a sua não quer funcionar ou está cheia de hipocrisia para tanto.

Além de lidar com os aspectos ilusórios de cada um. Portanto, é bem mais fácil enxergar o que vc quer do que vislumbrar a realidade.

O povo sempre vai querer seguir o caminho mais fácil. Seja se entupindo com fábulas ou se ajoelhando a espera de um deus que ainda não veio.

Que fique claro que eu não sou ateu (talvez seja à toa, mas isso é outro papo), acredito em Deus e sei da importância que a fé tem para o ser humano. Questões sobre a vida após a morte e bem e mal, são tão relevantes (ou mais) para algumas pessoas quanto o andamento da Economia ou a situação da nossa educação.

Mas seria legal que essas pessoas soubessem separar cada coisa. Não nivelando por baixo ou por grau de importância, mas sim pelo que cada uma representa para a sua sobrevivência. Considerá-las em graus iguais e separados um do outro.

Quanto ao cara, bem, como o papo estava ficando pra lá de polemico e ele já estava se exaltando, decidi terminar a conversa com um sorriso amigável dizendo:

“Vc pode até ter o seu terreninho no céu, todo bonitinho e cercado. Só te esperando, mas aposto que vc não quer ir tão cedo pra lá, não? Então se preocupe mais com o que acontece nesta esfera de vida.”

Ele riu. Eu sou mesmo muito idiota :) ...

Selph - 3:56 PM

0 Comentários

fins - 19/04/2005

"acabou..."

...disse a menina ao rapaz de lábios balbuciantes à sua frente.

"...acabou!"

Era a exclamação do comerciante após anos e anos de luta contra a falência...

"olha, acabou."

Resposta da moça do guichê ao grupo de adolescentes que dariam a vida pra ver aquele super show.

"acabou! acabou!"

Gritavam os fánaticos após o fim do jogo.

"já acabou?"

Uma interrogação pairava sobre a cabeça da garota sedenta. A resposta vem por meio de um muxoxo do garoto apressado.

"não pode ser... acabou!"

Exclame o quanto mais vc esperava daquele filme.

"é... creio que desta vez acabou..."

Constatação própria e talvez um pouco precipitada sobre um período que vc considerou importante em sua vida.

"agora. é a hora. hora de acabar com isso. o show acabou. e o sofrimento tmb"

Reza a lenda do suicida...

"Sumiu! hehe... acabou!"

Alguém em frente ao espelho após a tempestade cinza.

"Acabou."

Um dia o Destino dirá
.
.
.
.
pra vc.

"Acabou. Mas foi bom pq aconteceu."

E quem sabe vc responda isso de volta. Sorrindo embaixo de uma chuva no fim da tarde. Em qualquer abril mítico e distante...

+ + +


Talvez a vida seja feita de recomeços. Mas o fins tem a sua importância e beleza, além de serem bem mais lembrados.

Selph - 8:37 AM

0 Comentários

então, ela de novo... - 15/04/2005

A principio eu não deveria estar escrevendo sobre coisas que não conheço, ou que vivi poucas vezes e certamente sem toda a intensidade com que são descritas pelos quatros cantos do mundo.

Paixão...



Mas o que seria isso mesmo?

Por favor, não quero mais ouvir aquelas frases feitas em dicionários amorosos ordinários, nem tampouco conselhos do tipo: “tempo ao tempo”, “pessoa certa”, “destino”, “fraquezas do coração”, “coisas imprevisíveis”, “vírus passageiro”, “amor veloz”, etc.

Quero saber qual é a base desse sentimento, mas a base comum a todos. Ou melhor queria saber, pois cada um sabe (e têm) o seu motivo particular.

Tipo: “me apaixonei pelo seu jeitinho de falar”, “pelo seus olhos”, “cabelos”, “bunda”, “tesão”, “inteligência”, “todo o conjunto”, “falta de conjunto”. Ou seja, milhares e milhares de aspectos ou momentos convenientes.

* Essa dos momentos convenientes foi interessante. Talvez eu fale sobre isso em outro mês *


Então tá, quero saber o motivo (default, e não particular). Existe?

Creio que sim. É simples: Desejo...

...que sempre anda ao lado do Ego.

Ego que faz desejar algo para si. Pouco importando se a outra parte tá afim ou não. Até aqui nenhuma novidade. Mas o que acontece quando alguém consegue repartir o Ego em pedacinhos e consequentemente o Desejo?

Resposta: o efeito, (sentimento, ou sei lá o que seja) paixão fica repartido tmb.

Eu fujo de explosões emotivas. Se me apaixono? Sim, constantemente, porém creio que não com a intensidade com que dizem que ela ocorre.

Não, não é por trauma, nem pela minha conhecida desconfiança e nem pelo instinto de sobrevivência.

“Então não é paixão”

Bem, eu creio que sim. Pois essas minhas pequenas quedas (fazendo uma analogia ao fall in love do maldito english) são todas movidas pelo Desejo, portanto são paixões sim, porém, pequeninas... iguais a peças de um quebra cabeças de mil partes.

Na maioria das vezes se uma não encaixar com a outra pra formar um quadro maior e talvez mais forte, aí babau! O caso fica ligado a um aspecto só, a um sentido ou momento.

Pois bem, com o caso ficando ligado a só um aspecto, sentido ou momento, dificilmente ele evoluíra para algo mais palpável. Como uma relação por exemplo.

Tal quebra cabeça não é tão difícil de montar, o problema é se no inicio da montagem houver alguma quebra. Que irônico! Um quebra cabeças incompleto por causa de uma quebra.

Tal quebra pode ser bem variada: falta de entendimento, falta de “coisa de pele” (sexo em alguns casos), e a mais perigosa: TRAIÇÃO.

Alguns já argumentaram que para abandonar esse risco de quebras seria preciso “cair num abismo” por vontade própria. Até já escreveram sobre isso com muito mais propriedade aqui.

Eu acredito no sentido do “cair no abismo”, acredito tmb no “não existe pessoa certa” e até no “se não tentar, nunca via saber”. Mas acredito mais ainda no que meu Ego diz, e infelizmente ele não se pronuncia há muito tempo. Talvez esteja acostumado a funcionar de maneira repartida...

Portanto, é complicado pra mim querer algo na marra ou suprir alguém com sentimentos que não possuo. Não saber o que quero não é mais problema, o problema é ter o que quero e a partir daí tentar conciliar o Desejo com o Ego. Soa egoísta não?

Sim, mas creio que para poder gostar de alguém, antes é preciso estar em paz consigo mesmo. E invariavelmente o Ego entra nessa. Querendo ou não ele faz parte, seria hipocrisia dizer que não.

Que fique claro que estou falando de paixão (coisa que pouco conheço) e não de AMOR (coisa que conheço menos ainda). Amor, segundo o que dizem é entrega, logo, essas minhas variantes malucas não se aplicam a esse sentimento.

Sabe o que é mais engraçado (ou trágico)?

É que toda essa verborragia, essa vã tentativa de explicar sua condição, todas essas nossas verdades absolutas e ideais baseados em teorias próprias...

...caem por terra com um simples olhar, sorriso ou gentileza.

Isso é o mais bonito. É o que dá esperança...


O resto... Ah! O resto que venha, mas se não vir vou continuar a ir busca-lo.

E citando o titulo do link que deixei parágrafos acima: “um email que lhe enviei”.

Lembrei de uma frase que coloquei num e-mail de mesma natureza, que enviei há algum tempo:

"Em outros e-mails e palavras, vc sabe o quanto esta sendo especial pra mim.

Eu sei que sou complicado. E isso não vai mudar até que encontre alguém que me entenda

Eu sei que vc não gosta de mim da maneira como eu gosto de vc. E isso não vai mudar até que eu encontre alguém que goste de mim...

Eu sei que estou sendo chato. Er... bem... isso seria muito difícil de mudar, hehe!

Eu sei que vc tem ideais bem diferentes dos meus...

O que mais eu sei além destas coisas óbvias? Bem...

... só que nossos apelidos ficam bonitos quando feitos de palito!"


Selph - 11:38 AM

0 Comentários

simples assim - 12/04/2005

Eu procuro conhecimento

e não reconhecimento.

Não é por mal, creio que as pessoas algumas vezes (bem, na maioria das vezes) tendem a gostar do que já conhecem, ou seja, do que reconhecem.

Eu tmb sou assim, porém, procuro caminhos diferentes na esperança de achar algo um tanto quanto inóspito ou pouco conhecido. Coisas que alguns enxergariam como ruim, de mal gosto ou intolerantes.

Mesmo sabendo que de intolerância, o politicamente correto está cheio...

...e o meio termo tmb.

Selph - 1:04 PM

0 Comentários

diferente ?! - 11/04/2005

Esse fato aconteceu na semana passada. Já o tinha postado em outro espaço, mas era apenas um teste. De fato... talvez a minha opinião não agrade a maioria, mas enfim...

Semana passada eu estava mais crítico-sem-causa-ou-razão-aparente, do que de costume...

No CPD em que trabalho tem um toca fitas de carro, desses velhos sabe? Era de um Gol 86 de um colega nosso que trabalhava aqui...

Acontece que a Diretoria inventou de enfiar aqui um boyzinho desgraçado pra porra de um estagio. Pô! Eu já fui estagiário, mas valha-me Deus! Nunca fui tão marrento quanto esse mal parido em questão. O que dá na cabeça de alguns adolescentes pra serem tão pedantes ao ponto de se acharem os donos da verdade?

Pois bem, o merdinha se apossou do nosso som e pra não deixar barato, resolveu colocar as suas fitas escrotas pra tocar, destilando tudo o que a MPB tem de mais chata e pedante(pensando bem até que combina com ele). Começa com Carlito Marrón e vai direto para as novas do panteão de Santo Amaro, passando por Chico César (Mama África!) e termina na “adorável” filhinha da Elis. Sim! Pq o rapaz quer passar a imagem de culto e “inteligente”, além de fazer parte desse estilo babaca “não consumo o lixo comercial e imperialista”. Ai meu saco...

Como alguns espécimes nessa idade, ele tmb tem opiniões formadas em quase tudo, considera-se “diferente” dos outros e consequentemente superior por causa dessa diferença. Sei que julgar os outros é idiotice, mas putz!.... quanta ingenuidade se achar superior por causa disso...

Mas vá lá , as opiniões são dele e se aplicam à ele, logo, quem vai se quebrar (muito ou pouco , aí vai depender do seu grau de esperteza) é o próprio. Contanto que não interfira no meu trabalho, tá limpo! Mas peralá! Que porra de música (no ultimo volume) é essa?

“Olha lá, ele não é feliz
sempre diz que é do tipo cara valente
Mas veja só a gente sabe que esse humor é coisa de um rapaz
Que sem ter proteção, foi se esconder atrás da cara de vilão
Então não faz assim rapaz
Não bota esse cartaz
A gente não cai não...”


Até que estava achando legal. Era bem irônico a figura em questão estar ouvindo uma letra assim, ouvia e cantarolava bem alto. Acho que ele queria dizer alguma coisa com isso...
Até...

“Ê, Ê!
Ele não é de nada
Oía!
Essa sua cara amarrada
É só, um jeito de viver na pior
Ê! Ê!
Ele não é de nada
Oía!
Essa sua cara amarrada
É só, um jeito de viver nesse mundo de mágoas...”


PQP! Que músiquinha mais condescendente da porra!.

“Ele não é de nada” – quanta pretensão! até posso imaginar a cara daquela sem graça cantando isso com aquele sorrisinho escroto no canto dos lábios. Do tipo: “Eu sou foda...”

Meu Deus! Pq existe essa falsa humildade? Essa corja que acha que pensa e se sente superior por isso? Tudo bem! Ignorância é vizinha da maldade, e é uma merda em termos gerais. Mas se pra adquirir “cultura” é preciso ficar assim, ah! véio! Então prefiro ficar burro do meu jeito pra sempre...

Ninguém se toca que o sábio é sempre aquele que em principio admite a sua ignorância...

Que conhecimento só tem valor quando é compartilhado...

Que “idealistas” no geral, sempre morrem de frio...

Que gostar das coisas simples, não significa que vc é só mais um...

Que o sarcasmo e a ironia são coisas que deveriam ser mais bem utilizadas, senão enjoam...

Que o normal, nem sempre é sinônimo de ruim...

Que tudo isso que eu falei é irrelevante, pois ninguém gosta de ser taxado de leigo. Por mais que quem tenha te chamado assim, seja mais leigo ainda.

“Ah! Mas eu sou diferente, isso não se aplica a mim, por que eu sou superior em grande parte a isso”.

Ah! Garoto! Vai a merda vai! Vc é diferente, sei... vc e todo mundo! Ninguém é igual! Grandes merdas "ser diferente". Nesse caso isso é uma coisa a ser considerada, putz! “normal”...

Ah sim! O boyzinho em questão levou uma mijada quente nas costas quando o chefe chegou e reclamou da porra do som alto. Como castigo, pediu pro cidadão guardar todas as suas fitinhas na gaveta e nunca mais escutar isso no trabalho. Hehehe, e olha que a gente sempre escutou o melhor do rock, punk, heavy, grunge e alternativo e nunca nos importunaram...

Isso pq pra bom ouvido, meio volume basta.

É... e o malandro continua enganando o “sábio”...

Novamente.

É. Certamente alguém vai discordar de mim. Fazer o que né?

Selph - 10:42 AM

0 Comentários

Os escritos - parte 5 - 08/04/2005

Rodrigo domina o mundo
Texto retirado do Ácido Cinza

Deixe-me dizer uma coisa: odeio eventos de faculdade, onde garotos que não sabem nem limpar a bunda direito - como meu velho dizia (antes de eu silenciá-lo), vêm "conhecer as instalações". Eles me enervam.

Quase posso ver no sorriso amarelo de nossos reitores um pedido sutil para que usemos gerúndio e um tom de voz robótico que ocupa as linhas telefônicas de SACs da vida. Sim, é verdade: não fossem necessárias horas-estágio, provavelmente eu ficaria confortável em minha cama, deitado embaixo de meu edredom mesmo com um sol "rachando" de quente lá fora; a desidratação haveria de ser um obstáculo interessante no curso da vida.

Todavia, não era este o fabuloso destino de Rodrigo T. Não.

"Olá, vocês tem interesse em Publicidade? Esta é a Agência Experimental de Comunicação..."
(...)
"Olá, vocês tem interesse em Publicidade? Esta é a Agência Experimental de Comunicação..."
(...)
"Olá, vocês tem interesse em Publicidade? Esta é a Agência Experimental de Comunicação..."
(...)
"Olá, vocês tem interesse em Publicidade? Esta é a Agência Experimental de Comunicação..."

Noto que o último grupo não presta atenção nas minhas palavras. Ensandecido por ter minha posição de ser humano reduzida ao equivalente de atendente de telemarketing e com o descaso de meus visitantes, rapidamente pego uma das embalagens à mostra na mesa parecida com um tijolo e acerto o rosto do namorado da garota que bocejava.

A porrada do "tijolo" é tão forte que dentes voam, e o rapaz vai ao chão gemendo em dor. A namorada, horrorizada, solta gritos super-sônicos de aflição, para ter sua garganta encontrada por meus hábeis punhos e ser atirada contra a televisão suspensa na parede. Uma ligeira explosão ocorre, enquanto cacos de vidro e fumaça saem do que restou do monitor onde nossa amiga encontra sua cabeça enterrada.

O namorado se levanta, e retira uma Magnum 44 de seu bolso. Os outros colegiais, que recebiam um "tour" dos auxiliares da FEPRO (nome deste maldito evento), olham sem compreender, levando cotoveladas implacáveis no meio de suas faces dos mesmos auxiliares que até um momento atrás eram pura cortesia - todos haveriam de pagar pelos pecados da minoria. Todavia, eu ainda me encontrava sob a mira de uma Magnum 44. Meu coração estava disparado; eu era um universitário e meu inimigo um estudante colegial - nada impressionante, mas eu (ainda) era mortal.

Os companheiros trainees, vendo tamanho absurdo, unem-se a mim e começam a chacinar os 3º Colegiais que se acham donos da verdade. Em particular, o mais proeminente dos trainees, que estava no 4º ano, caiu com uma voadora fulminante contra o meu agressor, decepando-lhe a mão e a arma que segurava, em seguida decapitando-o com um golpe certeiro de capoeira.

Sangue e glória, pão e circo!

Os outros colegiais encontravam-se no chão, gemendo, membros quebrados e psiques antes arrogantes totalmente estilhaçadas. Nosso recado fora dado, e jamais novamente a Agência seria maculada por garotos sem qualquer tipo de interesse na sagrada área de Publicidade & Propaganda.

Desperto do meu transe auto-imposto. Chega outro grupo.

"Olá, vocês tem interesse em Publicidade? Esta é a Agência Experimental de Comunicação..."

Por Rodrigo Shin

Selph - 3:54 PM

0 Comentários

Os escritos - parte 4 - 07/04/2005

Ivete é o caralho! Meu nome é Pererê Pequeno!
Texto retirado do Kajiland

A vida é igual ao futebol: Uma caixinha de surpresas. Eu estava todo animado com a idéia de fazer um post sobre Milena. O que!? Você ainda não conhece Milena!? Então acesse: www.milena2004.com.br

Essa beldade (cof! cof!) é candidata à vereadora, pelo PRONA (Partido do Enéas), e afirma que faz TUDO pelo esporte. Sexo é um esporte, não é?

Bem, vou voltar ao assunto principal. Não postarei sobre Milena, pois o post da vez é sobre... IVETE SANGALO E SEUS MIQUINHOS AMESTRADOS! Tudo bem, eu vou falar mal da Ivete. Então, você (que gosta dela) irá falar: Que miserável, bastardo! Falando mal da Ivete! Bem, a resposta é: Que se dane! Cara, eu gosto de Ivete Sangalo (principalmente se eu estiver no show dela, bem pertinho do palco e ela estiver usando saia). Ela é tão... Hum... Carnaval!

O Carnaval é a melhor festa de Salvador. Com certeza, é a que atrai mais investimentos para a cidade. No entanto, o Carnaval (assim como a música de Ivete Sangalo) é o resultado de uma euforia infundada e desnecessária.

Não é estranho que exista gente morrendo de fome no sertão da Bahia, enquanto, em Salvador (capital da Bahia e historicamente a primeira capital do Brasil, para quem não sabe), tenha tanta gente pulando e festejando!? E o povo do sertão baiano morre.

Voltando ao assunto, o tema IVETE, só apareceu pelo seguinte fato: Meu tio comprou o DVD (Pirata! Yeah!) da dita cuja. E o pior de tudo: Eu fui obrigado a ouvir o DVD durante todos dias desta semana útil.

Aí, você fala: - Sim, e daí?
Eu respondo: - Foi horrível!

Que a Ivete não saiba tocar, eu até perdôo. Que a Ivete tenha se casado com o alienígena filho de quase tropicalista, Davi Moraes, eu perdôo. Entretanto, eu não posso perdoar o seguinte fato: Ela colocou "Sandy & Junior" no show! Que triste! Pior que isso. Ela chamou uma equipe de elite derrotada e "miada". Repare:

Davi Moreira - Marido desempregado (acredito, eu). É só mais uma expressão do nepotismo. E note que todos são nepotistas, até Deus. Como!? Se ligue. A Igreja é "Universal do Reino de DEUS", mas "JESUS CRISTO é o Senhor". Ou seja, Deus por ser dono da Igreja, emprega o filho único dele. Isso é NEPOTISMO ESPIRITUAL!

Gilberto Gil - Tudo bem que ele é o Ministro da Cultura, mas eu não vou deixar passar! Porra! Quando é que o Ministro vai começar o trabalho!? Ou será que ele só trabalha nos intervalos de tempo em que ele não está fazendo shows (próprios e participações)!? Kaianagandaya é o caralho!

"Sandy & Junior" - Essa eu não perdôo, mas aqui eu vou deixar passar. Analise: Zezé di Camargo & Luciano (Pseudo-Homens), Leandro e Leonardo (Pseudo-Homens, ressalva para o finado), João Paulo & Daniel (Pseudo-Homens, ressalva para o finado), Xitãozinho e Xororó (Que raios de nome esquisito da porra! Pseudo-Homens) e todas essas duplas de "sucesso" que existem. Qual a semelhança entre elas? Todas são constituídas por homens! Agora, repare que "Sandy & Junior" é a única dupla de garotas que faz "sucesso" até hoje. Maldade minha? Hum... Pode ser...

Tatau (do Araketu, "a banda do povão", "a banda que toca dobrado") - Porra! Esse aqui eu não vou falar nada! Só pelo fato de Ivete chamar ele de lindo... Assim fica difícil...
Ah! E não pensem que é preconceito racial meu, pois eu tenho em mente uma coisa: Os homens pertencem à raça humana. Uma camiseta - seja ela branca, preta ou marrom - é sempre uma camiseta. Uma raça é sempre uma raça! Cor não é justificativa para gostar de pessoas. E existem homens negros bonitos, mas eu prefiro as negras bonitas (se é que vocês me entendem).

Bem, para finalizar segue uma letra comentada da música PERERÊ, da "Vetinha".

Pererê - (Ivete Sangalo)

Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê

[Refrão enjoado do caralho!]

Pererê saiu na capa do jornal
[Não me diga! Índio brasileiro na capa do jornal? Atearam fogo nele?]

Fumando cachimbo em pleno carnaval

[Ahhhh... Foi só isso? Na selva é normal da um "tapinha no cachimbo"]

Pererê não gosta de sorvete quente

[Porra! Se ele gostasse iria ser estranho. Sorvete quente!? Quem gosta de sorvete quente!?]

Pererê só pula carnaval com a gente

[O que um índio veio fazer no suposto Carnaval, de supostamente Salvador?! Ele veio como!? Legal da parte de vocês brincar o Carnaval com um aborígine indígena.]

Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê

[Refrão enjoado do caralho!]

Pererê não gosta de fumar cigarro

[Aham... Ele curte um cachimbo. Você já falou isso. Embora, de cigarro para cachimbo... É um pulinho, ou melhor, um "tapinha".]

Pererê não bebe quando sai de carro

[Claro que não! Pererê é um índio. Quando ele sai de carro, ele não dirige o carro. E ele não bebe pelo suposto motivo da segurança. Ele não bebe, porque ele não tem dinheiro para comprar bebidas alcoólicas.]

Pererê não faz amor sem camisinha

[Pererê não faz amor! Amor não se faz. Amor se sente! Esse negócio de fazer amor, é eufemismo descarado pra convencer meninas sonhadoras a transar. Pererê não faz amor. Ele faz SEXO.]

Pererê não come nada sem farinha

[Porra! Coitado de Pererê. Não come nada sem farinha. Imagina ele comendo macarrão, pão, biscoito cream cracker... Pererê deve gastar uns 15 supositórios por semana para sobreviver.]

Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê
Pê Pê Rê Rê Pê Rê Pê Pê

[Refrão enjoado do caralho!]

Quando vira índio

[Ahhh... Pererê "vira" índio. Ele não é um índio. Ele vira, que nem os Power Rangers...]

Ele fica nu

[...só que sem as roupinhas coloridas... Entendi!]

Na salada dele tem tomate cru

[A Ivete também tem tomate cru na salada dela, com certeza. Ah! E o tomate cru, Pererê come com farinha.]

Pererê é o mais querido do Brasil

[Pererê que é o mais querido do Brasil!? EU jurava que era o Flamengo...]

Pererê só quer pular atrás do trio

[Claro! Pererê é índio, mas não é mané. Ele sabe que se ficar colado no trio vai perder a sua audição. E com seus apurados ouvidos indígenas, Pererê pode escutar de longe.]

Vai Pererê, vai Pererê
Vai Pererê, Pererê, Pererê
Vai Pererê, vai Pererê
Vai Pererê, Pererê, Pererê

[Vai Pererê! Volte para sua casa, a selva amiga. Esqueça esse negócio de carnaval... Isso não presta para os não-capitalistas.]

PS: Eu não odeio Ivete Sangalo, eu até ouço pra tomar banho...

Por Kaji_kun

Selph - 10:58 AM

0 Comentários

Os escritos - parte 3 - 06/04/2005

O patinho Quén
Texto retirado do ...A mind is a terrible thing to waste...

****

[Ok crianças, vou contar pra vcs a história do Patinho Quén e do Urso Estressadão]:

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Urso Estressadão e lhe diz:

-Quén!

-Como é, rapaz? O que é que você disse?

-Quén!

-"Quén" é o caralho, ô filho da puta! Vou te matar, canalha maldito!

-Quéééééééén!!!!!!

E o Urso Estressadão matou o Patinho Quén.

Fim.

****

[OK, a falta de inspiração me força a isso...]:

Vocês já conhecem o Patinho Quén, né?

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra a Raposa Tarada e lhe diz:

-Quén!

-Hã? Isso foi uma insinuação? Você está querendo me dizer algo?

-Quén!

-Hm, que patinho mais gostoso... vem cá, patinho, vem...

-Quéééééééén!!!!!!

E a Raposa Tarada comeu o Patinho Quén.

Fim.

[O final foi ambíguo de propósito, caso vc não tenha notado...]

****

[Mais uma do patinho mais amado do Brasil...]:

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Canguru Boxeador e lhe diz:

-Quén!

-Mas hein? Por acaso você está me desafiando?

-Quén!

-Seu patinho de meia-tigela, vai sentir meu jab de direita e meu cruzado de esquerda!

-Quéééééééén!!!!!!

E o Canguru Boxeador encheu de porrada o Patinho Quén.

Fim.

****

[E aí, estavam com saudade do Patinho Quén?]:

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Camelo Terrorista e lhe diz:

-Quén!

-Cale a boca, sua ave capitalista! É por causa de pecadores como você que meu povo sofre!

-Quén!

-Você servirá de exemplo para todos os que tentam corromper esse mundo! Por Alá!

-Quéééééééén!!!!!!


E o Camelo Terrorista explodiu junto com o Patinho Quén.

Fim.

****

[Só pra dar uma movimentada... fiquem com o tão amado Patinho Quén em sua mais nova aventura]

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Gafanhoto Filósofo e lhe diz:

-Quén!

-Non, non! Patinho deve concentrar suas energias num ponto só. Visualize. Auhmmmmmmm...

-Quén!

-Non! Patinho burro! Patinho não tem consciência de nada! Patinho deve morrer!

-Quéééééééén!!!!!!

E o Gafanhoto Filósofo, com um golpe de caratê, decepou a cabeça do Patinho Quén.

Fim.

****

[Ok, vamos atualizar. Patinho Quén!]

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Ornitorrinco Chorão e lhe diz:

-Quén!

-Buáááááááá!

-Quén!

-Buáááááááá!

-Quéééééééén!!!!!!

E o Patinho Quén deu um cascudo no Ornitorrinco Chorão.

Continua...

****

Era uma vez um patinho chamado Quén. Um belo dia ele encontra o Ornitorrinco Chorão e depois de uma conversa muito produtiva, o Patinho dá um cascudo no Ornitorrinco. Eis que então, surge o Irmão Mais Velho do Ornitorrinco Chorão:

-Irmão, o que foi?

-Quén!

-Buáááááááá!

-Ô penoso, foi tu que bateu no meu irmão?

-Quén!

-Buáááááááá!

-Aí, sabe pra que serve esse ferrão aqui na minha pata traseira? Pra dar uma lição a patinhos folgados que nem você!

-Quéééééééén!!!!!!

E o Irmão Mais Velho do Ornitorrinco Chorão esquartejou o Patinho Quén.

Fim.

****

Por Nomad

Selph - 7:09 AM

0 Comentários

Os escritos - parte 2 - 05/04/2005

Uga Buga
Texto retirado do Hobbit Inútil

A idéia surgiu quando ele estava em um desses hiper-mega-supermercados
gigantescos, lotados com uma infinitude de coisas pra comprar e
pessoas mal-educadas. Depois de quase ter seu pé esmagado por uma
velhinha e depois de ficar barrado em um corredor por dois pares de
donas de casa que conversavam animadamente sobre o preço do papel
higiênico, ele fez as contas na cabeça: somou os prós e contras e viu
que realmente compensava mandar tudo às favas e ir morar longe da
civilização. Ele ia pegar o carro e se mandar pra alguma floresta e se
tornar o novo George of The Jungle. Adeus, trabalho! Adeus, gente
estúpida! Adeus, cidade do inferno! Adeus, responsabilidades!

Aí ele se lembrou de todas as vezes que ele foi, por um motivo ou por
outro, para qualquer lugar longe da civilização. Quando ele ia pro
sítio do avô ele ficava trancado no carro, ouvindo o rádio. As
excursões ecológicas eram um desastre. Enfim, ele não era um homem que
gostava de estar em contato com a natureza. Caçar sua própria comida,
colher frutas nas árvores e tal eram belas idéias no papel. E se
limpar com folhas de árvores não era uma boa idéia em nenhum lugar.
Ele podia se afastar da civilização, mas não viveria sem papel
higiênigo. E onde ele arranjaria papel higiênico. Foi quando ele se
deu conta que estava na seção de papel higiênico. Uma montanha de
papel higiênico se estendia à sua frente, imponente, alta, branca e
fofinha.

Ele começou a tirar a roupa ali mesmo. Estava só de cuecas quando
apareceu uma velha procurando papel higiênico com cheiro de flores
campestres. Ali, do lado do papel dupla folha alaranjado. Isso, esse
verdinho. De nada. Ok, agora ele iria tirar a cueca e...não, melhor
continuar com a cueca. Foi até a parte de cosméticos femininos, abriu
os cremes até achar algum avermelhado. Pintou o rosto de forma tribal
e primitiva, como um moleque de prezinho. Precisou abrir alguns outros
potes pra fazer alguns desenhos com o creme no peito e na barriga.
Estava coçando, mas ele não devia se importar. Aqueles desenhos
simbolizavam alguma coisa importante que ele não lembrava agora. Uma
arma. Algo para usar em suas caçadas e para se defender de invasores e
predadores. Foi até o utilidades domésticas e pegou uma faca de pesca.
Sempre quis ter uma dessas, mas ele nunca pescava. Pegou uma vassoura
e retirou a parte com os pelos. Como se chamava aquilo? Bah, tarde
demais, ele não devia mais se importar com a língua do povo
civilizado. Ele deveria ter seu próprio dialeto, e talvez devesse até
usar estalos de língua para se comunicar. Estalos de língua eram
legais. Tinha uma tribo africana que se comunicava através deles, o
Discovery Channel fez um documentário sobre eles. Ok, sem mais
pensamentos civilizados. Começou a afiar a ponta do cabo de vassoura.

Ninguém realmente olhava pra ele. Acostumados com as mocinhas que
distribuem café, as caixas com chapéu de papai noel na época do Natal
e os idiotas fantasiados de algum produto idiota que não estava
vendendo muito bem, as pessoas já esperavam encontrar alguma coisa
ridícula quando entravam no supermercado. Ele tinha de disputar a
atenção das pessoas com, por exemplo, a velhota que estava impedindo o
trânsito no corredor. E quando se está fazendo compras, que se foda o
idiota de cuecas sentado no chão afiando uma lança: quero mais saber
qual o problema com essa velha que não sai da minha frente, pois eu
preciso pegar a porra do desinfetante!

Pronto, agora ele tinha uma lança. E estava pintado. Um aborígene
completo! E agora...e agora...o que faz um aborígene? Basicamente,
eles caçam, colhem, vivem em suas cabanas, dormem, fazem suas
necessidades...uma vida simples e sem complicações, que ele iria
aprender a viver. Os primeiros meses foram os mais difíceis, como em
todo processo de aprendizado por tentativa e erro. A cabana foi
construída com caixas de leite longa-vida amontoadas, e coberta com
algumas capas de chuva. Papel de higiênico não era uma boa opção, ele
havia aprendido. Desaba com facilidade. A posição da cabana gerou
alguns problemas também. Na seção do leite ele era importunado por
velhinhas que precisavam de ajuda para carregar caixas de leite da
prateleira até o carrinho. Na seção de brinquedos as crianças pareciam
não ter medo de sua lança e viviam invadindo a cabana para brincar. A
seção de frios era fria demais, e a de hortifruti estava sempre lotada
de pessoas. Até que ele achou a seção de bebidas e nunca mais mudou a
cabana de lugar. Alimentação nunca foi uma causa de grandes
preocupações. Era fácil conseguir frutas, verduras e legumes em seu
novo habitat. Talvez ele ficasse meio confuso quando pensava se era
correto um aborígene comer cheetos e bolachas de chocolates, mas ele
julgava que essa confusão era um processo comum de transição da
civilização para...para esse modo de vida que ele estava vivendo. E de
qualquer forma ele não devia pensar muito. Era mais importante
sobreviver. Com uma caixinha de palitos de fósforos, o novo aborígene
descobriu o fogo. Com o saco de carvão e o pedaço de picanha maturada,
ele descobriu que podia invocar a chuva que cai do teto e os
bombeiros. Ele ficou bastante desanimado com a dificuldade em assar
carne, mas logo ele descobriu que haviam misteriosas caixas brilhantes
que assavam frango perto do açougue, e nunca mais teve problemas com
falta de proteína animal.

Nota: é preciso dizer aqui que certas vezes
ele atraía a atenção da multidão consumidora. Quando o chamado da
natureza chegava, ele pegava um rolo de papel higiênico e se dirigia
para a seção de hortifruti para se utilizar da barraquinha de alface.
Isso causava muita revolta e enjoô nas donas de casa que não
conseguiam imaginar um almoço sem uma boa salada de folhas, mas com o
tempo ele aprendeu a ser mais rápido do que elas e se desviar das
maçãs que vinham em sua direção.



Por Enrique

Selph - 11:15 AM

0 Comentários

Os escritos - parte 1 - 04/04/2005

Já faz um tempo que eu vinha querendo fazer isso, postar por aqui alguns escritos que achei interessantes. Logicamente todos os textos irão ser creditados ao autor com o respectivo link para o seu blog.

@@@


Olha eu aqui!
texto originalmente publicado no dia 6.9.04, no Aventuras da Menin@ Prodígio

Dia cinco de setembro é Dia da Elevação do Amazonas à Categoria de Província.

Esse nome monstro quer dizer que o Amazonas deixou de morar na casa do Papai-Pará pra ser dono do próprio nariz e rachar um apê com o Acre e com "a" Roraima.

Só que aconteceram problemas de relacionamento entre o Amazonas e o Acre, pois o Acre sempre trazia uns amigos que falavam espanhol e folhas estranhas pra casa, coisa que o Amazonas não aprovava. Já tinha tanta folha em casa, pra quê esse menino fica trazendo mais?

Já Roraima era uma moça muito dada, tinha contatos internacionais com todo tipo de gente desinteressante, inclusive aqueles caras que falam inglês sem serem americanos nem ingleses (Guiana), e também a moça que inventou a pizza de Folhas (Margarita). O problema é que os amigos de Roraima eram todos um bando de amigos da onça - sempre usaram a moça, ingênua que só ela, pra obter favores do Amazonas.

O Amazonas, que depois do lance do roubo das Seringueiras estava meio desconfiado, decidiu investir suas economias num quarto e sala privativo e mandar o Acre e a Roraima se virarem sozinhos.

Acre, que sempre teve inclinações religiosas, optou por viver no isolamento, apenas de vez em quando mandando sinais de sua existência. Inclusive, muitos afirmam que Amazonas é esquizofrênico e que o Acre é fruto de sua imaginação; ninguém além do Amazonas jamais viu ou conversou com o Acre.

Já Roraima, que apesar de muito comunicativa nunca bateu muito bem da bola, sempre bate à porta do Amazonas para pedir favores - uma xícara de açúcar, uns turistas que estivessem de passagem pra Margarita ou pra Venezuela, algum dinheiro emprestado, uma razão de ser - e depende completamente do amigo até para se vestir.

Com tais vizinhos, o Amazonas teve de pensar num jeito de ganhar uma graninha e pediu pra Tia Brasília umas indústrias de presente de aniversário. Tia Brasília, que nunca entendeu direito aquele sobrinho alto, gordo e com mania de bicho-grilo, deu as indústrias pra ele calar a boca e esqueceu.

Amazonas - Tia Brasília? Sou eu, Amazonas...

Brasília - Menino, quanto tempo! Nem lembrava mais de você direito... Desde que você saiu da casa de seu Pai perdi o contato..Mas também, esse lugar em que você foi morar é tão longe!

Amazonas - É longe mas eu tô pensando em fazer umas melhorias, sabe? Fazer a laje, puxar um banheirinho...

Brasília - Que sotaque é esse? Você tá andando com o Rio de Janeiro?

Amazonas (envergonhado) - Que é isso, tia... Eu tô de olho é na Paraíba...

Brasília - Esquece, menino, o Ceará tem aqueles olhos verdes cor do mar, você já perdeu essa parada. Mas pra que você me telefonou?

Amazonas - É que eu ando precisando de grana...

Brasília - Quer que eu crie mais uns cargos públicos pra você, que nem eu fiz com a desmiolada da Roraima?

Amazonas - Não, tia...Eu queria umas indústrias, a longo prazo o investimento é melhor.

Brasília (sorrindo benévola) - Olha que bonitinho, falando de longo prazo...Parece até gente grande! Vou te dar as indústrias que você quer, pixuquinho.

Amazonas (com um sorriso forçado) - Dava pra senhora fazer um pacote completo e me dar também estradas, siderúrgicas, ferrovias, e incentivos fiscais?

Brasília - Muito ousado você! Seu pai não te deu semancol? Só as indústrias - e os incentivos fiscais por tempo limitado!

Amazonas - Obrigada, tia! Eu me viro (já saindo) Mas nem uma estradinha?

Brasília - Vai estragar o seu quintal.

Com indústrias e sem estradas, o Amazonas se virou do jeito que deu. Investiu na reforma da Mansão Manaus, que ficou grande, com mais de um milhão de quartos. Só que esqueceu de capinar o quintal, que ficou cheio de mato. E sabe como é, em mato alto se esconde todo tipo de bicho...até que um dia, após o lanche da tarde, o Amazonas notou umas pegadas de barro na cozinha...Qual não foi sua surpresa ao encontrar, escondido debaixo da pia, o seu próprio Pai!

Amazonas - Papai, o que o senhor tá fazendo na minha casa?

Pará - Eu fui entrando pelo quintal, você nem notou. Aliás, tava na hora de comprar uma roçadeira Stihl, hein? Esse mato tá muito alto! Aposto que tem até onça!

Amazonas - Papai, a minha relação com o mato é diferente da sua...Eu tô vendo o que eu posso fazer pra ganhar dinheiro com ele.

Pará - (de olhos arregalados) Com mato???

Amazonas - Tem uns gringos aí que compram qualquer coisa que a gente oferece, he he he...

Pará - Cuidado com isso, meu filho...Eu tive uma experiência desastrosa com uns japoneses que queriam registrar o Açaí... A minha sorte foi que eles não sabiam escrever direito. Escreveram Assa Hy , e o professor Pasquale processou os japas.

Amazonas - Mas pai, o que o senhor veio fazer na minha casa?

Pará - Trazer umas tapioquinhas, uma farinhazinha, um tacacazinho...

Amazonas - E o que mais, pai?

Pará - Uns trezentos imigrantes...

Amazonas - Porra, pai! Sacanagem um negócio desses! Você não consegue controlar o seu índice de criminalidade e fica trazendo ladrão pra minha casa?

Pará - Filho, você não sabe como tá a situação lá em casa. Parece que tudo parou no tempo...Nada se movimenta, nada gira, o comércio tá esfriando, o povo não consegue ganhar dinheiro...E você tá tão cheio de oportunidades...

Amazonas - Ah, pai, sei lá. Se vira aí nos quartos da Zona Leste, você e os seus imigrantezinhos. Eu tô ocupado, preciso comprar um terno pra ir visitar a tia Brasília...Os subsídios que ela me deu tão quase perdendo o prazo de validade, e eu não consegui ainda fazer as estradas...

Pará - Filho, que sotaque é esse? Você tá andando com o Rio de Janeiro?

Amazonas - PORRA, PAI!

Pará - Eu só estou preocupado com as suas companhias...

Amazonas - E de onde o senhor tirou esse seu sotaque com os NH elevados ao cubo? Ou seria cubinhnhnhnhnhnho?

Pará - Prefiro o meu sotaque do que a sua culinária...Onde já se viu, meu filho, servir vatapá com maionese?

Amazonas - Eu aprendi isso com meus amigos nordestinos...E o senhor não tem mais nada a ver com a minha vida! Eu pago minhas contas e meus impostos - e pago melhor que o senhor!

Pará - Filho ingrato...

***********

Com esse tremendo abacaxi em casa, o Amazonas resolveu humilhar publicamente seu pai, pra ver se ele ia embora. Quando viu que a cada vez que o Pai ia e voltava, trazia mais um batelão cheio de imigrantes, desistiu e acabou colocando um colchãoziNHo debaixo da pia da coziNHa.

Afinal de contas, o pai cozinha bem pra caramba!

************

A história do Amazonas com o Pará não é exatamente pacífica assim...Mas como eu tenho laços afetivos com o Pará, eu amaciei um pouco a coisa.

Por Menina Prodígio

@@@

Selph - 9:49 AM

0 Comentários

questionário - 01/04/2005

Finalmente acabou aquela porcaria de Big Brother Brazil! Era foda vc ir a qualquer ambiente e encontrar as pessoas conversando sobre aquilo. Lógico que existiram exceções, porém, uma maioria estava ligada naquele troço!

Eu não sei vcs, mas eu prefiro mil vezes assistir um ornitorrinco vesgo e perneta se reproduzindo nos pântanos da Austrália via TV Cultura do que assistir a tão tedioso programa.

Mas como tudo tem a sua utilidade (até as coisas mais toscas) resolvi tentar queimar os meus poucos neurônios pra tentar descobrir como seria o questionário de múltipla escolha que a Vênus Platinada dá para os que querem se candidatar a tal empreitada. Não reparem no conteúdo fútil e medíocre, é apenas um refugo de idéias sem nexo que me atormentaram nesta sexta feira...




QUESTIONÁRIO BBB 5

Vc é...

( ) homem
( ) mulher
( ) alien
( ) mutante
( ) brasileiro e não desisto nunca!
( ) N.D.A

Qual a sua constituição étnica?

( ) branco caucasiano
( ) ameríndio
( ) albino
( ) oriental
( ) afro brasileiro
( ) afro-zulu-ebáno-furioso-e-revoltado-se-vc-o-chamar-do-tipo-errado-de-afro
( ) indo-afro-anglo-oriental
( ) amarelim verme
( ) sarará crioulo
( ) azul com bolinhas amarelas
( ) D.N.A

Qual a seu nível escolar?

( ) terceiro grau incompleto
( ) segundo grau completo
( ) primeiro grau e olhe lá
( ) Supletivo
( ) Mobral
( ) torneiro mecânico do Senai
( ) Telecurso 2000
( ) ah véio, sei lá...
( ) M.B.A

Qual a sua profissão?

( ) modelo e manequim
( ) traficante
( ) músico fudido
( ) empresário falido
( ) playboy
( ) mano, cerlto?
( ) HAHAHA! Fala sério!
( ) funcionário publico descansado concursado
( ) vidente
( ) cabeleireiro Unissex
( ) nerd milionário
( ) remediado
( ) C.U.T

Qual é o seu estado civil?

( ) casado e capado
( ) solteiro e comedor
( ) enrolado e corno
( ) tô nem aí, tô nem aí!
( ) amigado e broxa
( ) Estado de São Paulo
( ) C.P.F

Qual é a sua orientação política?

( ) Direita
( ) Esquerda
( ) Cima
( ) Baixo
( ) Norte / Sul / Leste / Oeste
( ) centro esquerda popular
( ) centro direita elitista
( ) capitalista médio
( ) terrorista
( ) Marxista sino cubano
( ) Homem primata
( ) Anarquista Punk! Fodam-se porcos capitalistas!
( ) Hay Gobierno? Soy contra!
( ) marginal fluvial
( ) Flamenguista
( ) Corinthiano
( ) C.P.I

Vc tem vícios, hábitos ou comportamentos típicos? Quais?

( ) jogar CT a noite inteira
( ) cheirar tampa de remédio
( ) dar a bunda
( ) escrever num blog
( ) falar com duendes
( ) ficar violento quando discordam de mim
( ) chorar quando ficam me olhando feio
( ) peidar e cheirar sozinho
( ) erva, cigarro e toddynho
( ) assistir a programas de merda que nem este
( ) ninfomania
( ) pedofilia
( ) coprofagia
( ) I see dead people
( ) gosto de pagodinho paulista
( ) T.H.C

Qual é a sua religião?

( ) católica apostólica romana não praticante
( ) espírita/candomblé/terreiro da mãe Joana das 7 cruzes
( ) muçulmano xiita
( ) ateu e à toa
( ) Jesus Cristo é o Senhor!
( ) zen budismo down
( ) Jah Rasta Cannabis Free
( ) M.P.B

Qual é a sua opção sexual?

( ) macho
( ) fêmea
( ) cachorra
( ) viado
( ) homosoftpornlésbico
( ) pansexual
( ) punheta
( ) internet
( ) D.I.U

Qual é seu estilo de música favorita?

( ) Metal Speed Trash Hard Melódico
( ) fundo de quintal
( ) AM / FM
( ) mofo erudito
( ) Lual suruba
( ) eclético sem gosto e sem moral
( ) 3 acordes e muita dor de cabeça!
( ) bossa velha e músicas populistas
( ) dance romeno
( ) Axé Sarava!
( ) Alternativo / Deprê / Bunda suja
( ) Crássicos da terra, sô!
( ) chifre
( ) R.E.M

Vc toparia ficar sendo filmado 24 hrs por dia durante 3 meses expondo toda a sua intimidade para 150 milhões de pessoas no país?

( ) sim
( ) sim, sim
( ) sim, sim, sim
( ) é claro!
( ) não LÓGICO!
( ) O.K

Toparia fazer trabalhos comunitários?

( ) não
( ) NO
( ) tá doido?
( ) resultado negativo
( ) sem chance!
( ) nem fodendo!
( ) AHAHAHAH!
( ) P.N

Caso vc seja o vencedor, o que fará com o prêmio em dinheiro?

( ) Comprar uma casinha humilde na Suíça
( ) Doar pra Fundação de Pesquisa das Borboletas do Afeganistão
( ) Ir pra Terra do Nunca! Nunca mais acordar cedo, nunca mais pegar no pesado!
( ) Fazer uma limpeza no colón
( ) Virar emergente detergente social
( ) Comprar a Emissora dos Jardins
( ) Virar gente
( ) Trocar de sangue
( ) Fazer um transplante de cérebro
( ) Viver num puteiro nas ilhas Cayman
( ) Virar apresentador de televisão e ter o meu fã-clube
( ) Mandar matar o Pedro Bial
( ) Mandar matar o Pedro Bial e o Boni
( ) Mandar matar o Pedro Bial, o Boni e o RPM por ter feito aquela música tosca!


Selph - 10:37 AM

0 Comentários