<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Despertar



Há quase 3 meses eu terminei de ler a saga que tornou Neil Gaiman famoso em todo o mundo. Genial.

E ponto, pq ficar falando das qualidades dele e de sua obra é meio redundante.

Porém, o fim da mesma me trouxe outra sensação. A sensação de analisar como o tempo passou e como as coisas mudaram...

Quando comprei o primeiro exemplar (Prelúdios e Noturnos) o ano de 2005 se iniciava. Até então eu estava envolvido de cabeça nesta história de blog. Por sinal, comprei esse exemplar na banca do Largo do São Sebastião a noitinha, enquanto deixava o povo do blog na fila esperando pra entrar no teatro e assistir a "Terça Insana".

De lá pra cá, quase 3 anos.

De lá pra cá, amizades perdidas, uma viagem em minha vida, e um amor de recompensa.

De lá pra cá, brigas, desavenças, distância, perdão, vida nova.

De lá pra cá, mudar de casa, morar junto, procurar um novo emprego...

Talvez seja aquilo que chamam de "sair do casulo", não?

Ah sim, de lá pra cá tmb deixei este espaço inativo. Sempre naquela de adiar ou de decidir se vou parar de vez. O melhor foi deixa-lo desta maneira mesmo, longe de mim querer viver de passado, mas ler o que eu escrevia aqui me dá uma certa noção da passagem do tempo. Não mudei totalmente, mas algumas coisas ficaram bem mais perceptíveis.

-------------------------------------------------------------------------------------


Tanto que em certo momento vi que aquela sua dúvida se mostrou finalmente verdadeira:

"Será que até o fim desta saga continuaremos amigos?"

Não. Não continuamos...



Em outro momento, percebi que o que vc sentia por mim nunca ia ser amizade de verdade, senão um mero remendo do que "poderia ter sido". E que depois se transformou em raiva (ou frustração) ou até em nojo. Enfim...



E percebi que vc rapaz, estava tmb procurando se encontrar. Sem ser piegas. E parece que conseguiu.


-------------------------------------------------------------------------------------


Até aquele momento eu só conhecia vcs três...

...mas de lá pra cá a coisa evoluiu muito. E morreu tmb.




E é aí que reside a sabedoria deste canto do cisne de Morpheus.
Vc pode mudar e abandonar suas metas e dizer que isso foi decisão sua.

Ou vc pode simplesmente deixar de existir e a partir daí, renascer.

Marcadores: , , ,

Selph - 8:53 PM