<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

in Rio

Fui embora de São Paulo.

Cheguei ao Rio.

e a conheci.

Ela é como dizem por aqui: "Sangue Bão!"

E a sua adorável familia? O primogênito (vulgo pacote) tem misturada a irreverência total da mãe com a calma bem humorada do pai, que por sinal tmb não fica atrás em simpatia.

Adoráveis.

Assim como ela.

- Aeroporto Galeão. 18:45 hrs. 29/12/05 -


Atrasados. Tínhamos chegado atrasados para pega-la. Quase meia hora!

Ela estava nos esperando no terminal 1. E eu e minha gentil hospedeira entramos pelo 4.

Andamos um pouco, o coração tava agitado. Talvez pelo instinto arisco de sobrevivência, logo ele saberia que iria bater numa velocidade em que não estava acostumado.

A vislumbro de longe. Sentada e com as pernas displicentemente apoiadas em cima da sua mala vermelha. Cabelos lisos, negros e cortados na altura da nuca. Olhos perdidos direcionados a saída do seu terminal. Um certo ar de impaciência no rosto, talvez um resquício de ansiedade...

É ela, Engraçadinha diz.


!!!

Ela nos vê, e abre a boca de espanto como costumava fazer na web cam. Chega perto apressada. Abre a boca e fala algo, mas eu não ouço nada. Ela sorri e me olha. Larga a mala vermelha para o lado e fica me olhando a mais ou menos um metro de distancia.

Ela tem um ar de menina rebelde, mas seu olhar e o seu rosto corado mostram bem mais que rebeldia. Mostram autenticidade, vida, presente...

Silêncio.

Sorrisos bobos.

Timidez.

Aproximação.

...


Engraçadinha diz que nós ficamos abraçados por pelo menos uns 10 minutos. Eu não creio que tenha sido tanto assim, mas talvez ela esteja certa. Perdi um pouco a noção de tempo naquele instante.

Eu não te disse que vinha?, falei.

Sim, é real..., ela responde.

...o momento é real. E nosso., completo.

Muitas coisas aconteceram de lá pra cá. E só se passaram 5 dias.

Muitas coisas eu vou contar aqui, outras eu deixarei registradas apenas na memória.

Como uma paisagem que vc não conseguiu fotografar, mas que irá guardar na mente por toda a sua existência.

Até lá.

Selph - 4:04 PM