<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diga-me

"Que el mundo fue y será una porqueria, ya lo sé...
(¡En el quinientos seis y en el dos mil también!)" *



Nós...



Evoluímos de amebas vindas do mar, até bípedes racionais. E esse racionais vai cru mesmo, sem aspas.

Sim, pq a pior maldade é aquela que foi planejada. Mesmo que a ignorância seja um tipo bastante dissimulado de maldade...

Uma vez escutei dizer que não é lá muito inteligente colocar sua vida nas mãos de outros. Seja governo, religião ou qualquer outro sistema que arrebanhe milhões. Ideologias inclusas.

O ser humano é passível de falha, como ela bem lembrou aqui, por isso, e somente por isso, sempre desconfio da necessidade de se obter um patamar de perfeição.

Não é pessimismo, mas... pra que atingir a perfeição se vc ainda não tem nem o aceitável? O povo brasileiro que o diga.



Tipo, um leproso se preocupar apenas com a roupa que vai vestir...

No entanto, procurar tirar o melhor de cada manifestação do gênero humano me parece o mais prudente.

E talvez aí resida a malícia de se viver no mundo hipócrita de hj. Guardar o bom apenas pra quem mereça e trabalhar com variáveis disponíveis e não com utopias distantes.

A matéria dos sonhos mudou, não que isso a tenha tornado menos bela ou espetacular.

No mais, discordo um tanto (não de todo) de Enrique Santos Discépolo, o autor do tango acima. Visar sempre só o lado ruim me parece muito bom na hora da revolta, mas muito "muleta" pra se sustentar durante toda a vida.





"Que o mundo foi e será uma porcaria já sei...
(No quinhentos e seis e no dois mil também!)"


* Cambalache - Enrique Santos Discépolo (1935)

Selph - 1:30 AM