<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

o coração sem flecha

Dia dos Namorados. Assunto passado. Data comercial.

...se vc não estiver apaixonado é claro!

Alias, pra quem está apaixonado pouco importa. Todo dia é dia.

Além de ter o propósito de aumentar os lucros dos motéis, floriculturas, operadoras de celular e cinemas, essa data serve pra lembrar algumas pessoas (da maneira mais banal existente) que:

Vc está só


O aumento no estoque de comida congelada dos supermercados, os bares da esquina, as noites de sábado em frente à TV ou Internet, as conversas banais ao telefone, as músicas lindamente melancólicas, as cidades super povoadas e aquele batimento cardíaco descompassado, tmb fazem uns e outros lembrar que...

Eles estão sós


Na hora vc se sente único, mas esquece que pertence a uma maioria.

A maioria é solitária


Então somos maioria?
Então o mundo nos pertence?
Então temos o poder?
Então agora tudo faz sentido?

Sim, porém, é preciso corrigir uma coisa.

Vc, eles, a maioria enfim, não está (ão) só(s). Apenas não encontrou (ou aram) alguém com quem se sinta (am) bem...

...e vice-versa.

Ainda?

Não. Apenas, não encontrou (ou aram) . O ainda tem um caráter perigoso nessa afirmação.

Agora sim!

Somos maioria!
O mundo nos pertence!
Tem o poder!
E tudo faz sentido!

... entretanto, continuamos a querer:

Deixar de ser maioria
Dar o mundo a outros
Renunciar ao poder
Perder o sentido

Até que todos os “um dia” estejam presentes e todos os “ainda” sejam agora.

Depois disso, todos podem voltar a ser maioria e dominar o mundo por meio do poder e dos sentidos.

Tranqüilamente.

Selph - 2:43 AM