<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

tanto faz

Dizer que:

As pessoas são uma coisa na Internet e outra na vida real...


É moda

Dá menos trabalho de contradizer

...e conta com muitos exemplos por aí.

Ruim.

Generalizar é fácil demais, simples demais, e ultimamente, comum demais...

Além de ser óbvio.

Ninguém é 100% do que fala. Nem fodendo. Daí a banalidade de tal argumento

Gostaria de saber o que pensam as pessoas que se valem desse argumento. Sim, pq julgar alguém pelo que este ser escreve é tão infantil quanto jogar todas as fichas no poder de uma imagem.

Talvez essas pessoas vão gostando tanto (ou não) do que fulano escreve, que acabam criando uma ilusão ao seu respeito. E às vezes a ilusão acaba quando acontece algum contato mais próximo. Em tempos de Internet farta, isso ocorre até via messenger.

Lógico que me refiro aos blogs, outros tipos de sites que oferecem alguma possibilidade de comunicação (sites de encontros, fóruns, orkut, etc.) são tão passíveis de enganação, que tal frase dita acima chega a ser redundante.

Se bem que a escrita nos dá mais segurança, porém, nunca sabemos se quem escreve tudo aquilo é realmente aquela pessoa.

E se até na chamada vida real (não, não é o Big Brother) muitos reclamam de nunca saberem ao certo com quem estão lidando, ou até de facetas desconhecidas de muitos amigos, onde está então a lógica prática em diferenciar Internet do real?

Ou por acaso vc acha que só pq está na Net,o que há do outro lado não é uma pessoa? Suscetível as inúmeras falhas humanas? Entre elas o popular engodo?

Que na Net vc pode ser quem quiser isso todo mundo sabe. Mas que na vida cotidiana muitos são o que querem ser tmb(usando a mentira como artifício), parece que muitos ignoram...

Portanto, enquanto não tiverem desenvolvido a Inteligência Artificial e não houver andróides com aparência humana circulando por aí, usarei as mesmas precauções e terei as mesmas expectativas com relação a quem vier conhecer.

Tanto na Net como pessoalmente.

Tanto no messenger como na fila do pão

Tanto nos blogs como na faculdade

...tanto faz. O meio não é relevante.

O conteúdo sim.

Selph - 8:46 AM