<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d10210114\x26blogName\x3din+loco\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://selph.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://selph.blogspot.com/\x26vt\x3d-2414873366062592404', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

In Loco

Já foi do weblogger, já foi pra destilar, já disse "mas sim, mas não", já cruzou a linha do virtual-real...

...agora só passa. Contínuo.
(manaus - am - desde 2004)

inloko again - mail

tupininquim

Euforia - subida súbita

Alegria - euforia gritante

Solidão - de todos os sentimentos, o que mais gosta de companhia.

Melancolia - névoa densa

Tristeza - melancolia ao quadrado

Saudades - herança portuguesa

Portugueses - povo alegremente melancólico

Brasileiros - produto de 3 raças que se misturaram e se tornaram alegres. Porém, ninguém sabe se são felizes...

Extremismo - um lado da moeda único, verdadeiro e real

Comodismo - ...o outro lado da mesma moeda

Mundo - mistura de terra e água, cuja fertilidade gerou vida. Gira torto num grande nada, porém, com muita esperança.

Esperança - o início de tudo, mas não o final


"Os brasileiros são a euforia do mundo. Todos esperam muito de nós, porém, a que preço? Sempre tentamos matar toda a melancolia e tristeza dos nossos corações por meio da força, porém isso é um extremismo sem sentido. Precisamos aceitar que os portugueses deixaram mais que o idioma por aqui e não se desesperar por causa disso. Ao contrário, adaptar-se.

A alegria não deveria vir de um sentimento de comodismo e sim da certeza de que podemos algo. Esperança é ótimo, mas a solidão dos que ficaram a olhar estrelas é maçante.

No dia em que a saudade do que ainda não conhecemos não exista mais, esse dia, poderemos dizer que somos de fato uma nação."

Selph - 2:36 PM